Zé Antônio alerta para os perigos da Copa do Brasil em confronto milionário

Atacante Alípio desencantou diante do Joinville - Hermes Bezerra/Figueirense/ND
Atacante Alípio desencantou diante do Joinville – Hermes Bezerra/Figueirense/ND

O Figueirense entra em campo nesta quarta-feira (13), em jogo válido pela estreia na Copa do Brasil 2019, contra o Boavista (RJ). O duelo vale vaga na próxima fase da competição, um aporte milionário nos cofres e o prestígio do clube nesse momento de reconstrução. Todos esses fatores, dessa forma, requerem total atenção com o jogo considerado “perigoso” pelo Furacão.

>>> Vencedor de Boavista e Figueirense vai embolsar mais de R$1 mi

É muito dinheiro envolvido. Ao menos diante do quadro do Figueirense – e da maioria dos clubes do País – refere-se a uma quantia indispensável do ponto de vista da temporada. Só por entrar em campo o Furacão terá o direito a receber R$ 525 mil. Em caso de classificação, o time de Hemerson Maria, que joga pelo empate, terá o direito de receber mais R$ 625 mil. 

“Temos que ter cautela, tratar o jogo com cuidado, é uma competição perigosa. Viemos para cá para buscar a vitória. Temos jogadores experientes, eu, o Denis, a nossa defesa vem bem e se não levar gol o Figueirense tá classificado. Sabemos que é um resultado perigoso de contar e por isso temos que ter cuidado”, alertou o volante e capitão do time, Zé Antônio.

Outro ponto salientado pelo camisa cinco do Furacão diz respeito a qualidade do adversário, resumida no meia Carlos Alberto, com passagem pelo bairro do Estreito. O zagueiro Rafael Marques e o centroavante Leandrão são outros nomes com vasta experiência no futebol nacional. “Não podemos ter a soberba pelo peso da camisa, é preciso atenção com os perigos da Copa do Brasil”, acrescentou.

Para o duelo, o técnico Hemerson Maria não tem muitos problemas. O principal é a ausência do zagueiro Alemão que será substituído por Ruan Renato. O meia Juninho, que esteve ausente nos último cinco jogos em função de um estiramento no joelho está com a delegação e opção para o comandante.

Do outro lado, apesar da preocupação do capitão Zé Antônio, a situação é delicada. O Boavista até começou bem o campeonato Carioca, mas perdeu fôlego e foi eliminado na Taça Guanabara. Atualmente o Verdão de Saquarema soma três derrotas seguidas.

Ficha técnica:

Boavista: Rafael; Thiago Silva, Elivelton, Rafael Marques e Jean (Christiano); Douglas Pedroso, Vítor Faísca, Tartá e Carlos Alberto; Dija Baiano e Thiago Mosquito. Técnico: Eduardo Allax

Figueirense: Denis; Kauê, Pereira, Ruan Renato e Matheus Destro; Zé Antônio, Betinho, Patrick, Alípio (Matheusinho) e Yuri (Willian Popp); Matheus Lucas. Técnico: Hemerson Maria.

Local: estádio Elcyr Resende, em Saquarema (RJ); Data: 13/02/19. Hora: 20h30

Arbitragem: Elmo Alves Resende Cunha (GO); com Edson Antônio de Sousa (GO) e Paulo César Ferreira de Almeida (GO).

Mais conteúdo sobre

Futebol