Zé Roberto celebra volta de Garay: ‘É um exemplo de tudo o que há de bom’

 Fernanda Garay está de volta à Seleção Brasileira. Ela não defendia a equipe desde os Jogos Olímpicos do Rio - Foto: Divulgação/CBV)
Fernanda Garay está de volta à Seleção Brasileira. Ela não defendia a equipe desde os Jogos Olímpicos do Rio – Foto: Divulgação/CBV)

De volta à Seleção Brasileira após quase dois anos, Fernanda Garay reúne os ingredientes que o técnico José Roberto Guimarães mais queria para tentar o título inédito do Campeonato Mundial, entre 29 de setembro a 20 de outubro, no Japão: experiência, atitude e exemplo. A campeã olímpica em Londres-2012 fez nesta terça-feira suas primeiras atividades com o grupo em Saquarema, no Rio de Janeiro, onde fica o Centro de Treinamento da equipe verde e amarela, em dia de otimismo do grupo em relação aos próximos desafios.

– Não tive de insistir muito. Ela me procurou logo depois da Superliga. Disse que gostaria de dedicar mais tempo à família, ao marido e à mãe. Eu entendi, mesmo sabendo que é um jogadora importante pela experiência, postura, atitude e por ser muito presente. É um exemplo de tudo o que há de bom – disse o técnico, que completou 64 anos nesta terça-feira, ao LANCE!.

Após conquistar o título da Superliga com o Dentil/Praia Clube, em abril, a ponteira renovou contrato com o clube e decidiu descansar. Em nenhum momento anunciou a aposentadoria da Seleção, mas deu a entender que jogar o Mundial não estava nos planos. Sua última partida com o time nacional foi a eliminação para a China nas quartas de final dos Jogos Rio-2016.

– Eu precisava descansar e ficar um tempo mais dedicado para minha família. Tive uma conversa muito boa com o Zé Roberto e isso foi muito positivo para minha volta. Pelo meu histórico e por toda a confiança que a comissão técnica me passou, me senti motivada a voltar e brigar para estar bem no Mundial – afirmou a atacante, de 32 anos.

Sem a estrela e com desfalques por lesões, o Brasil sofreu. Tanto que terminou em quarto na Liga das Nações e na Copa Pan-Americana. A comissão técnica considerou que era hora de fazer um novo contato, e Zé Roberto ligou para a jogadora há uma semana. Ela pensou e, nos últimos dias, aceitou o chamado.

– Em uma conversa com o Paulinho (auxiliar) e a comissão técnica após as duas competições, achamos que seria importante falar com ela. O “não” nós já tínhamos. Estamos falando de um campeonato que nunca conquistamos, e no qual temos chances de jogar igual para igual contra as melhores seleções. Ela pensou e chegou à conclusão de que valia a pena. Está preocupada com o tempo perdido, mas tem um físico privilegiado – analisou o treinador.

Os próximos compromissos do Brasil serão três amistosos, em agosto, contra os Estados Unidos, nos dias 12 (em Brasília), 14 (em Uberaba) e 18 (no Rio de Janeiro). Mas a ponteira seguirá em Saquarema para recuperar o ritmo. Ela só deve entrar em quadra no Torneio de Montreux (SUI), entre 4 e 9 de setembro.

No momento, a equipe tem 16 atletas, mas só 14 irão ao Mundial. Além de Garay, foram convocadas as levantadoras Dani Lins e Roberta, a oposta Tandara; as centrais Adenízia, Carol, Bia e Thaisa; as ponteiras Gabi, Natália, Amanda, Drussyla, Rosamaria e Fernanda Tomé e as líberos Gabiru e Suelen.

– A vontade é ainda maior pelo desejo de disputar o Mundial. É um título que ainda não conseguimos e queremos bastante – disse Fernanda.

Mais conteúdo sobre

Esporte