Fila do INSS recua, mas ainda tem 1,8 milhão de pedidos em análise

Com agências da Caixa Econômica fechadas desde 18 de março, atendimento tem sido realizado pelo celular ou pelo site

A fila de pedido para benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tem diminuído desde o início do ano, mas ainda 1,8 milhão de requerimentos aguardam análise. A informação consta do Boletim Estatístico da Previdência Social referente a março, que foi divulgado nesta quinta-feira (7).

Previdência Social – Foto: Arquivo/Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação/ND

Em janeiro, o número de espera chegou a 2,03 milhões e, em fevereiro, caiu para 1,86 milhão. O volume inclui tanto os processos que estão até 45 dias como os acima disso. No mês de março, o tempo médio de concessão de benefícios foi de 69 dias.

Leia também:

Com as agências fechadas desde 18 de março por causa das medidas de contenção à Covid-19, o atendimento tem sido realizado apenas de forma remota, pelo site Meu INSS. Isso tem possibilitado ao instituto avançar na análise de requerimentos represados. A previsão é que as agências só voltem a funcionar a partir de 22 de maio.

Embora o número de pedidos parados ainda seja alto, o advogado João Badari, especialista em direito previdenciário e sócio do escritório Aith, Badari e Luchin Advogado, considera que houve um avanço. “Avalio de forma positiva o trabalho que está sendo feito no INSS”, afirma Badari.

“Eles viraram o ano com mais de 2 milhões de requerimentos na fila. Em razão da Covid-19, com agências fechadas, focaram em resolver esse represamento de processo administrativo, principalmente aqueles parados há mais de 45 dias. Em poucos meses, houve uma redução importante, o que está sendo muito efetivo”, explica o advogado.

Contratação temporária

Uma das medidas para tentar acabar com a espera é a contratação de servidores aposentados e militares da reserva para um período temporário. O processo seletivo simplificado já foi aberto e a expectativa é preencher 8.230 vagas para trabalhar no atendimento ao público e na análise de pedido de benefícios. As inscrições terminam neste domingo (10).

O presidente do INSS, Leonardo Rolim, tem mantido a promessa que espera zerar, no máximo até outubro, a fila dos que esperam mais de 45 dias por uma resposta do órgão.

+

INSS