Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


Sem competitividade e briga por posições, a Fórmula 1 ficou previsível e entediante

Quem fica na frente da TV para assistir a uma prova da Fórmula 1 por quase duas tem um certeza: o vencedor será sempre o mesmo. Sem competividade, a fórmula 1 ficou chata.

O piloto Lewis Hamilton é magistral e perfeito nas pistas de corridas. Não é campeão do mundo 7 vezes campeão à toa. Nesta temporada de 2021 vai se encaminhando para o oitavo título da sua carreira.  E justamente pelo inglês ser o ” Pelé das pistas” a Formula 1 está ficando previsível, quase que “sem graça”. Do que adianta ficar duas horas na frente da TV, sabendo que no final, Hamilton vai terminar em primeiro lugar e no lugar mais alto do pódio?  Se por um lado o talento do esportista é premiado, e deve ser enaltecido por isso, por outro, a competição perde a sua graça, justamente pela falta de competitividade. No esporte, seja qual for a modalidade e categoria, a rivalidade e alternâncias de posições geram mais emoções e atraem mais público e audiência nas transmissões.

Fórmula 1 sem “competição” marca uma temporada de 2021 monótona.  – Foto: LAT Images/Fotos públicasFórmula 1 sem “competição” marca uma temporada de 2021 monótona.  – Foto: LAT Images/Fotos públicas

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...