Após morte, torcedor relata demora de socorro no Allianz; clube contesta

Ao L!, torcedor que viu tricolor passar mal garante que bombeiros não estavam preparados para o atendimento. Allianz e Palmeiras negam demora no socorro

Após a disputa de pênaltis entre Palmeiras e Fluminense, no Allianz Parque, na última quarta-feira, o torcedor tricolor Flávio Gusmão de Figueiredo Mendes, de 51 anos, morreu ao sofrer um infarto. Renan Torres, torcedor tricolor e estudante de medicina que também estava no setor de visitantes da arena, afirmou ao LANCE! que o socorro levou mais de 30 minutos para retirar Flávio do local. Por outro lado, tanto Palmeiras quanto os responsáveis pela gestão do Palestra Itália dizem que o atendimento médico foi imediato. 

Em nota divulgada no site oficial, a organização do Allianz alega que Flávio morreu na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, após ser levado de ambulância ao local. O comunicado garante que é possível checar o curto tempo para a chegada do socorro pelas câmeras de segurança do estádio. Ainda segundo o estafe do Palestra, quando o torcedor saiu da arena, estava devidamente medicado e com vida.

Já Renan, em seu depoimento à reportagem, afirma que o socorro demorou mais de 30 minutos para ser efetivo, pois após a demora de 15 minutos para a chegada da corporação, dois bombeiros, acompanhados de três policiais, não sabiam o que deveria ser feito e, quando perceberam a gravidade, buscaram a maca. Sem preparo, não sabiam manuseá-la, contou o torcedor. Outros bombeiros chegaram depois e, então, levaram Flávio Mendes.

O torcedor relata que a Polícia Militar chegou a gravar a cena e o tumulto foi grande, pois a demora por atendimento teria irritado os presentes. À ESPN, a PM negou omissão de socorro e reclamou da falta de espaço entre as cadeiras do Allianz Parque para prestar o socorro. Em nota, o Palmeiras garante que foi dado o devido auxílio imediatamente e que o homem foi encaminhado ao ambulatório do Allianz Parque. Lá, teria passado por um eletrocardiograma, que não detectou parada cardiorrespiratória e, portanto, seguia vivo.

Em contato com a reportagem, outros torcedores do Fluminense presentes no setor confirmaram grande demora para o socorro de Flávio e reforçaram o tumulto causado nos corredores do Allianz Parque após a partida.

Confira o depoimento de Renan Torres, estudante de medicina e torcedor do Fluminense, ao L!:

Após o jogo, acabei vendo que o torcedor Flávio de cabeça baixa. Na hora, achei que ele estava triste ou desapontado pela derrota do Fluminense. Uns 40 minutos depois do fim da disputa de pênaltis, começamos a ser liberados pel PM para deixar o estádio e quando estávamos descando, começou uma gritaria, pedidos de socorro, porque um torcedor havia passado mal.

Alguns tricolores que eram médicos tentavam reanimá-lo para ver se ele não morria ali na hora. Ele se debatia contra o chão. Depois de 15 minutos, chegaram dois bombeiros e três policiais. Os bombeiros não sabiam o que fazer, chegaram sem maca e nenhum preparo. Quando perceberam a gravidade da situação, buscaram a maca, mas nenhum deles sabia como manusear.

Foram mais 20 minutos de tempo perdido. Neste momento, os policiais tentaram pegar uma câmera para filmar a situação, o que revoltou alguns torcedores que pediam para eles ajudarem. Depois de um tempo, chegaram outros bombeiros, estes sim sabiam o que fazer.

Entenda o posicionamento do Palmeiras:

A Sociedade Esportiva Palmeiras informa que o Sr. Flávio Mendes passou mal na noite desta quarta-feira, 28, no Allianz Parque, após a semifinal da Copa do Brasil.

A equipe de Bombeiros da partida prestou prontamente os primeiros atendimentos e levou-o ao ambulatório do estádio. Neste local, o torcedor foi submetido a um eletrocardiograma que não detectou parada cardiorrespiratória.

Feitos os exames necessários, o Sr. Flávio foi encaminhado consciente e respondendo às questões dos médicos até a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, cuja equipe passou a acompanhar o caso.

Leia a nota na íntegra divulgada pelo Allianz Parque:

O Allianz Parque lamenta o falecimento de Flávio Mendes, ocorrido nesta quinta-feira, 29, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.
Mendes passou mal nas dependências da arena, logo após a partida Palmeiras x Fluminense, realizada na quarta-feira, 28, pela semifinal da Copa do Brasil.

O atendimento ao torcedor fluminense foi realizado pelos brigadistas e pela equipe de serviços médicos contratada pela Sociedade Esportiva Palmeiras, para a operação do jogo.

Cabe informar que, entre o primeiro alerta de que o torcedor passava mal e a chegada da primeira equipe ao local, passou-se menos de um minuto (40 segundos, conforme pôde ser comprovado pelo sistema de segurança da arena). E que, quando deixou as dependências do estádio, em UTI Móvel, o torcedor já estava monitorado e medicado.

Em que pese o fato de a operação em dias de jogos caber à Sociedade Esportiva Palmeiras, a equipe do Allianz Parque está constantemente de prontidão e à disposição.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Brasileiro

Loading...