Inter analisa trocar seus estrangeiros

Atletas de países América do Sul estão na mira da direção colorada, mas para trazê-los, é preciso se desfazer de alguns que estão no Beira-Rio

Enquanto ainda procura pelo substituto do técnico Diego Aguirre, que deve deixar o clube ao final do Brasileirão, a direção colorada observa os estrangeiros do elenco para uma possível renovação em 2022. No Brasileirão desse ano, a disputa aos atletas nascidos fora do Brasil e foi grande e, em alguns momentos, fez com que alguns não tivessem lugar no banco de reservas.

Argentino Saravia é um dos que dificilmente ficarão no Beira-Rio – Foto: Ricardo Duarte/Inter/DivulgaçãoArgentino Saravia é um dos que dificilmente ficarão no Beira-Rio – Foto: Ricardo Duarte/Inter/Divulgação

O chileno Palacios e o colombiano Juan Cuesta foram os que mais sofreram. Como a CBF permite apenas cinco estrangeiros por partida, várias vezes eles nem lugar na casamata conseguiram. A saída do peruano Paolo Guerrero, em outubro, fez cair para seis a quantidade de “Hermanos” no Beira-Rio, o que ajudou, sobretudo, Palacios, que passou a ter chances regulares no elenco.

Para o primeiro semestre do ano que vem, a direção pretende acertar a vinda de mais um argentino: D’Alessandro, que atualmente está no Nacional, do Uruguai. Aos 40 anos, o meia-atacante já manifestou interesse em encerrar a carreira no Inter, clube que defendeu por quase uma década. A ideia é trazer o ídolo colorado para o Gauchão e algumas partidas da Copa do Brasil, em um contrato de, no máximo, seis meses.

D’Ale não é o único sul-americano na mira dos dirigentes. Porém, a menos que seja um jogador incontestável ou uma aposta em atleta muito jovem, a direção colorada pretende, primeiro, definir o treinador. Muita coisa pode mudar se o clube gaúcho conseguir a vaga na Libertadores. Para isso, terá de vencer o Atletico-GO, segunda-feira, 20h, no Beira-Rio, depois superar o Bragantino, na última rodada, em São Paulo. E, ainda assim, torcer por tropeços de América e Ceará. Décimo colocado com 48 pontos, o Inter precisa ficar em oitavo para levar a última vaga do ano para a principal competição interclubes da América do Sul.

Confira a situação da legião estrangeira no Beira-Rio:

Saravia: O argentino tem seus direitos federativos vinculados ao Porto até junho de 2023 e o clube português já informou que não pretende renovar o empréstimo.

Bruno Méndez: O Corinthians, com quem o uruguaio tem vínculo até o final de 2023, até aceita emprestá-lo. Mas o negócio não é fácil. O clube paulista já deixou claro que vai priorizar a ida do jogador de 22 anos para um clube que disputa a Libertadores, o que valorizaria uma transferência futura. A direção colorada tentará mantê-lo no Beira-Rio.

Mercado: tem contrato até o fim de 2022, mas sua presença não é certa. O argentino completa 35 anos em março.

Victor Cuesta: o argentino de 33 anos tem contrato até junho de 2022 e só sai antes do Inter se quiser. Seu desempenho foi um dos melhores do time no Brasileirão.

Palacios – O chileno de 21 anos, cujo contrato termina em 2021, tem situação semelhante a de Bruno Méndez: a direção quer mantê-lo, mas o Union Espanõla, com quem o atacante tem contrato ao final de 2022, não pensa em prorrogar o empréstimo e pede dois milhões de euros (cerca de R$ 12,7 milhões) para cedê-lo em definitivo. Considerado grande promessa em seu país, só permanece no Colorado se aceitar renovar seu vínculo com o clube de seu país por pelo menos mais um ano. Situação difícil.

Juan Cuesta – O empréstimo do equatoriano termina em junho do ano que vem, período em que tentará convencer os dirigentes a pagar mais R$ 4 milhões para contratá-lo em definitivo. A direção colorada pagou cerca de R$ 2 milhões pelo empréstimo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Inter

Loading...