Inter planeja volta de D’Alessandro em 2022 para argentino encerrar a carreira

Independentemente da negociação para a contratação de Daniel Alves, direção colorada já está alinhavada com ídolo argentino, que deixará o Nacional (URU) em dezembro e deve disputar o próximo Gauchão

D’Alessandro tem números históricos pelo Internacional- Foto: Ricardo RimoliD’Alessandro tem números históricos pelo Internacional- Foto: Ricardo Rimoli

Com a provável reabertura dos estádios e a economia melhorando o suficiente para os torcedores mais fanáticos votarem a comprar camisetas de clubes, a direção colorada tem um trunfo para 2022: a volta de D’Alessandro, um dos maiores ídolos da história recente do Inter.

Elementos para D’Ale se tornar sucesso de marketing é que não faltam. Com 505 partidas, hoje ele é o terceiro atleta que mais disputou jogos pelo clube. À frente dele está o legendário zagueiro dos anos 1970 Bibiano Pontes, com 523. Ou seja, é absolutamente possível o argentino ultrapassá-lo e ficar atrás do catarinense Valdomiro, praticamente inalcansável com suas 803 partidas com a camiseta colorada nos anos 1960,  1970 e 1980.

Outro recorde que pode gerar grande expectativa é quanto ao número de gols. Com 95 pelo Colorado, D’Ale poderá é o 15º maior artilheiro da história do clube. E pode se tornar o maior da era moderna caso ultrapasse os atacantes Christian (14º, com 98) e Leandro Damião (10º, com 109). Nada que chegue perto do atacante Carlitos, ícone dos anos 1950, que balançou as redes 485 vezes.

Outra disputa na qual D’Alessandro poderia ultrapassar Valdomiro diz respeito ao número de títulos. Ambos estão empatados, com 13 conquistas cada. Caso fature o Gauchão 2022, o argentino empatará com o zagueiro Índio, em quarto lugar na quantidade de títulos pelo clube (14). Mais uma vez Carlitos parece insuperável na primeira colocação. De 1939 a 1951, em uma época em que nem havia competições nacionais, faturou 20 títulos pelo único clube que defendeu em sua carreira.

O hermano, que chegou no Beira-Rio em 2008, ajudou o clube a conquistar títulos internacionais: uma Libertadores, uma Sul-Americana, uma Recopa e uma Copa Suruga. Esteve presente ainda em sete títulos gaúchos e em duas Recopas do Gauchão. Em 2009, teve a chance de conquistar um título nacional, mas na final da Copa do Brasil seu Inter foi superado pelo Corinthians de Ronaldo Nazário.

O camisa 10 atuou pelo clube gaúcho de 2008 a 2015, quando voltou para o River Plate, da Argentina, para ficar um ano. Em 2017, retornou ao Beira-Rio. No dia 19 de dezembro de 2020, fez o que parecia sua última partida pelo Internacional, na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras. Em março de 2002, ele completa 41 anos.

De acordo com dirigentes do Inter, não deverá haver problemas financeiros para que o atleta assine contrato de seis meses. Ele e o presidente Alessandro Barcellos já teriam um pré-acordo no qual o argentino aceitaria receber 50% do teto estipulado pelo clube.

Outra possibilidade avaliada pela direção é realizar amistosos ou mesmo jogos oficiais fora do Rio Grande do Sul, em locais onde é grande a presença de colorados – e muitos deles jamais tiveram a chance de ver de perto o argentino.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Inter

Loading...