Nadador Bruno Fratus critica jogadores de futebol após subirem no pódio sem o agasalho

COB afirma que irá tomar medidas contra a CBF após o fim dos jogos, já que a Confederação não cumpriu com o acordo de usar a vestimenta da patrocinadora do Time Brasil

O episódio da seleção brasileira masculina de futebol subindo ao pódio apenas com o agasalho do Comitê Olímpico na cintura gerou desconforto entre a própria COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e patrocinador. Além disso, o nadador olímpico Bruno Fratus criticou a atitude.

Nadador Bruno Fratus critica jogadores de futebol após subirem no pódio sem o agasalho – Foto: Breno Barros/Rede do esporte/NDNadador Bruno Fratus critica jogadores de futebol após subirem no pódio sem o agasalho – Foto: Breno Barros/Rede do esporte/ND

Em um comentário na postagem do vice-presidente do COB, Marco Antonio La Porta, o medalhista afirma que “a mensagem foi clara: não fazem parte do time e não fazem questão. Também estão completamente desconexos e alienados as consequências que isso pode gerar a inúmeros atletas que não são milionários como eles”, escreveu o medalhista dos 50m de natação.

Pelas regras do COB, todos os atletas que estão nos Jogos de Tóquio, independentemente da modalidade, devem usar o material da Peak, patrocinadora da entidade, no pódio e nas cerimônias oficiais.

Mas os jogadores descumpriram esse acordo e vestiram o uniforme de jogo, da Nike, patrocinadora da CBF. Os atletas usaram apenas a calça da fornecedora do Time Brasil e o agasalho amarrado na cintura.

Após o ocorrido, o COB se posicionou sobre o assunto. Na ocasião, afirma que “repudia a atitude da Confederação Brasileira de Futebol e dos jogadores da seleção de futebol durante a cerimônia”.

Ainda em nota, informou que tornará pública as medidas que serão tomadas após o encerramento dos Jogos de Tóquio.

De acordo com o UOL, a Peak fornece milhares de peças de enxoval em troca de exposição em momentos-chave, por exemplo, na cerimônia de pódio.

No entanto, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) não aceitou e expos apenas a marca da Nike, patrocinadora da seleção brasileira de futebol. Porém, de acordo com o COB, a postura é vetada pelas regras do COI (Comitê Olímpico Internacional).

Neste caso, quem sofre as consequências é o Time Brasil, ou seja, o Comitê Olímpico, e não a CBF.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Brasileiro

Loading...