OPINIÃO: Verdão fora da Libertadores de 2016 não pode ser uma tragédia

Divulgação

Editor do LANCE!
carloseduardo@lancenet.com.br 

A pergunta é essa, torcedor do Verdão. E se o Palmeiras não for para Libertadores via G4 do Brasileirão ou com o título da Copa do Brasil? Qual é o sentimento que fica? Apenas frustração? A vaga na competição internacional é obrigação como é gritado nas arquibancadas? O torcedor brasileiro, principalmente de clubes grandes como o Palmeiras, carregam este imediatismo consigo. Quer o resultado acima de qualquer coisa.

Mas já passou pela cabeça não ter um pensamento tão radical assim? Sei que é meio difícil, talvez impossível, não faz parte da nossa cultura futebolística. Entendo. Mas vale o debate, o exercício.

O Palmeiras quase caiu em 2014, precisou remontar o plantel. Remontou, até demais. Foram 25 jogadores para tentar dar liga (ver galeria de fotos abaixo). Era difícil, mas deu. O Verdão cru, no verde mesmo, foi finalista do Paulistão no início do ano. Para trabalhar o elenco, teve Oswaldo e Marcelo. Os dois Oliveiras, técnicos do primeiro escalão no país, conduziram o clube à briga pela Libertadores nas duas competições nacionais.

Isso tudo sem contar no sucesso fora de campo. O próprio estádio, o Allianz Parque, que recebeu grandes públicos e acolheu o torcedor que sonhava com a volta para casa. E o programa de sócios-torcedores? Mais de 126 mil filiados ao Movimento por um Futebol Melhor.

São fatos e números que não podem ser ignorados e jogados fora. Se o Palmeiras vai fechar o ano com chave de ouro, ainda não sabemos. Mas as conquistas fora do curto prazo devem ser lembradas e valorizadas. A temporada 2016 está quase aí e aquele Verdão estará mais maduro e pronto para colher os frutos.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Brasileiro

Loading...