Escudo: Chapecoense
CHA Chapecoense
Escudo: Criciúma
CRI Criciúma
Arena Condá, em Chapecó (SC) - 02/08/2020 às 06h00

Chapecoense bate o Criciúma e está a um empate da final do Catarinense 2020

Verdão do Oeste fez 1 a 0 com gol de Paulinho, com um minuto de bola rolando no segundo tempo; equipes voltam a duelar na próxima quarta-feira, às 21h30, no Sul do Estado

A Chapecoense bateu o Criciúma pelo placar de 1 a 0 e saiu na frente, no duelo válido pela semifinal do Catarinense 2020. O jogo foi realizado no início da noite deste domingo, em Chapecó e, devido ao resultado, o Verdão do Oeste joga pelo empate na partida de volta, para ir à final da competição.

Na outra partida o Brusque visitou o Juventus e venceu pelo placar de 3 a 2.

Os dois duelos acontecem na próxima quarta-feira: Brusque x Juventus, às 19h e Criciúma e Chape, às 21h30.

Chapecoense sai na frente do Criciúma, na disputa por uma vaga na final do Catarinense 2020 – Foto: Márcio Cunha/ACF/Divulgação/ND

O jogo

Em sua entrevista pré-jogo, o técnico visitante, Roberto Cavalo, deu uma entrevista onde afirmou que o principal objetivo do Carvoeiro era “não sofrer gols” em Chapecó.

Foi exatamente o panorama do encontro em seus primeiros movimentos. O Tigre até chegou em lance inicial, mas depois disso acabou engolido pelo ímpeto dos donos da casa. Foram, pelo menos, quatro finalizações perigosas do time de Umberto Louzer, contra apenas uma do Carvoeiro.

Ao contrário do outro duelo da semifinal, mais cedo, entre Juventus 2 x 3 Brusque, Chapecoense e Criciúma  que representam a “tradição” do futebol catarinense nestas semifinais, fizeram um embate foi sonolento.

Matheus Ribeiro e Denner, pela Chape, foram os principais jogadores dos primeiros 45 minutos. Pelo lado do Criciúma, o jovem atacante Jean Dias foi quem mais tentou, apesar do pouco sucesso em seus lances.

Vantagem na segunda etapa

Bastou o primeiro minuto do segundo tempo para acontecer tudo o que não aconteceu nos 45 minutos iniciais: gol.

Jogada pelo miolo de ataque onde o centroavante Aylon, de cabeça, ajeitou e Paulinho, na velocidade, driblou a marcação e mandou para o fundo da rede de Agenor. Bonito o gol do camisa 94 da Chape.

Chapecoense, de Mateus Ribeiro, vai em vantagem para o duelo no Sul do Estado – Foto: Márcio Cunha/ACF/Divulgação/ND

O Criciúma, sem criatividade e surpreendido no início do jogo, enfrentou grandes dificuldades para criar lance de perigo.

Se a primeira etapa foi “dura” de assistir, a segunda, apesar do gol, ficou ainda pior. A Chapecoense depois de assinalar o seu tento recuou suas linhas a espera de um espaço para o contra-ataque. O Tigre, “acéfalo”, não conseguiu criar alternativas de ataque.

No último lance de partida o Verdão ainda teve uma chance incrível desperdiçada: Alan Grafite partiu de trás do meio-campo após passe da defesa, conduziu a bola, olhou o goleiro Agenor em duas oportunidades, mas parou no experiente arqueiro.

Fim de jogo na Arena Condá e a segunda parte agendada para quarta-feira, no Sul do Estado.

Próxima parada

Criciúma e Chapecoense voltam a se encontrar na quarta-feira, às 21h30, no Sul do Estado. Empate dá Chape no final e vitória do Tigre por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Ficha técnica

Chapecoense: João Ricardo; Ezequiel, Joílson, Luiz Otávio e Alan Ruschel (Derlan); Guedes (Lima), Anderson Leite, Denner (Alan Grafite) e Matheus Ribeiro (Ronei); Aylon e Paulinho (Foguinho). Técnico: Umberto Louzer

Criciúma: Agenor; Adeílson, Vitão, Maurício Barbosa e Kaíke; Eduardo (Bruno Oliveira), Foguinho, Léo Ceará (Jajá) e Alisson Taddei (Cristofer); Jean Dias (Luquinha) e Thiago Henrique (João). Técnico: Roberto Cavalo.

Gols: Paulinho (1/2T)

Cartões amarelos: Ezequiel, Guedes, Alan Ruschel, Joílson, Luiz Otavio (CHA); Foguinho (CRI)

Arbitragem: Fernando Henrique de Medeiros Miranda; auxiliado por Kleber Lucio Gil e Eder Alexandre.

Local: Arena Condá, em Chapecó. Data: 02/08/20

Lances da partida

+

Futebol Catarinense