Após sete anos Marcílio Dias está de volta ao Campeonato Brasileiro Série D

Marinheiro estreia contra o Pelotas no sábado (19), no Rio Grande do Sul

Contagem regressiva no Gigantão das Avenidas: daqui há um mês o Marcílio Dias estreia na quarta divisão do Campeonato Brasileiro. O retorno à competição vai matar a saudade do torcedor rubro-anil, que há sete anos não vê seu time disputar uma competição nacional.

A partida será realizada no sábado (19), na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, contra o Esporte Clube Pelotas.  Os bastidores da preparação do Marinheiro, até à longa viagem de 769 km aos “pampas” gaúchos, você confere agora!

Após sete anos Marcílio Dias volta ao Campeonato Brasileiro Série D – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDApós sete anos Marcílio Dias volta ao Campeonato Brasileiro Série D – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

O Brasileirão será o segundo campeonato que o Marcílio irá disputar em 2020. Logo após amargar a desclassificação no Catarinense Série A, para o Criciúma, em casa, o Marinheiro já focou no campeonato nacional.  Segundo Lucas Brunet, presidente do clube, a meta principal deste ano sempre foi o Brasileirão, pelo motivo de:

“Disputar uma competição, que o Marcílio Dias consiga chegar mais perto de um dos pilares do planejamento estratégico, que é se consolidar entre os 60 principais clubes do futebol brasileiro”, declara Brunet.

O presidente afirma ter um elenco qualificado, mas confessa que é preciso algumas peças para melhorar o time. Para auxiliar o financeiro do clube, foi criado a campanha “Vamos Subir Cílio!”, por meio do plano “Rumo à Série C”. O plano dura sete meses, que corresponde a duração da Série D. Até quinta-feira (20), 175 torcedores aderiram ao projeto.

Lucas Brunet, presidente do Marcílio Dias – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDLucas Brunet, presidente do Marcílio Dias – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

Segundo Marco Gama, superintendente de futebol do Clube, o orçamento destinado para a competição seria maior, porém, devido à pandemia do novo coronavírus, foi preciso fazer adaptações e cortes.

Marco Gama, superintendente de futebol do Rubro-Anil – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDMarco Gama, superintendente de futebol do Rubro-Anil – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

Mesmo sem o investimento planejado, Gama afirma, que o Marinheiro virá com um elenco forte, capaz de se posicionar como uma equipe merecedora de estar lá, e fazer uma boa campanha. “Sabemos que as últimas participações do Marcílio na Série D, deixaram a desejar, e a gente tem bastante convicção de que o elenco será bastante forte”, declara.

“Uma posição que nós, infelizmente não tivemos o desempenho necessário para uma campanha de alto nível, foi o meio de campo. Então, acredito que é a posição, que estamos mais dispostos a investir”, afirma Gama.

Os problemas com essa posição do gramado, e as reclamações de parte da torcida não vêm de hoje. Para o técnico Moisés Egert, o torcedor está em seu direito de reclamar sobre o assunto, mas explica:”Nós tentamos! Dentro daquilo que tínhamos no mercado. É difícil porque competimos com estaduais do Brasil inteiro, onde há equipes com condições iguais ou até melhores que as do Marcílio”.

Moisés Egert, técnico do Marinheiro – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDMoisés Egert, técnico do Marinheiro – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

Gama concorda com o treinador ao dizer que a maior dificuldade está em encontrar um jogador, que encaixe nos requisitos do clube, e aceite o salário oferecido. Porém, Egert acredita que neste segundo semestre haverá um leque maior de opções para contratações.

“Estamos muito exigentes com relação a isso. Desde a desclassificação nos reunimos para que a margem de erro seja mínima, ou zero, com relação as contratações”, declara Egert.

Se a meia-cancha ainda gera desconfiança na torcida, a defesa parece ser uma das posições mais sólidas do time. O goleiro Júnior Belliato, 32 anos, um dos reforços do elenco desde o início deste ano, teve um desempenho regular no Catarinense. Sofreu 10 gols em 11 jogos, e agora, aguarda ansioso pela estreia no Brasileiro.

Júnior Belliato, goleiro do Marcílio Dias – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDJúnior Belliato, goleiro do Marcílio Dias – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

“Cada campeonato é uma história. O Estadual já é página virada. Sabemos da qualidade da nossa equipe e vamos trabalhar da melhor maneira possível. Primeiramente buscar a classificação, e avançar a cada etapa”, ressalta Belliato.

Enquanto Belliato conquista aos poucos a torcida marcilista, o técnico Egert conta também com Margão, uma das principais peças do time, desde sua chegada em 2019. As excelentes atuações do zagueiro nos Campeonatos Catarinenses de 2019 e 2020, e Copa Santa Catarina do ano passado, fizeram do atleta, um dos mais aplaudidos nas arquibancadas do Gigantão das Avenidas.

“É uma responsabilidade a mais, por ter sido capitão neste último Catarinense.  A torcida me abraçou de uma forma extraordinária, e eu tenho um carinho gigante pelo clube e pela torcida”, lembra Magrão.

Magrão, zagueiro e capitão do Marinheiro – Foto: Bruno Golembiewski/CNMDMagrão, zagueiro e capitão do Marinheiro – Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

Com 30 anos, Magrão traz sua experiência pelos gramados de todo o Brasil, para fortalecer o time marcilista. Ano passado, já disputou a Série D, quando estava emprestado ao Brusque. Foi campeão nacional pelo Marreco e busca repetir o feito, desta vez, pelo Marinheiro.

Sete anos fora do Brasileirão

A última participação do Marcílio Dias no “Brasileirão” Série D foi em 2013. Assim como desta vez, a classificação foi conquistada pelo vice-campeonato da Copa Santa Catarina, no ano anterior.

Marcílio Dias no Campeonato Brasileiro Série D (2013) – Foto: Reprodução internetMarcílio Dias no Campeonato Brasileiro Série D (2013) – Foto: Reprodução internet

No comando de Paulo Foiani, o Rubro-Anil conquistou 11 pontos e foi o terceiro colocado do grupo A7. Foram três vitórias, dois empates e três derrotas. A chave era composta pelo Juventude (RS), Penapolense (SP), Santo André (SP) e Villa Nova (MG).

A classificação para a segunda fase bateu na trave. Na última rodada o Marinheiro ainda tinha chances, mas precisava vencer o Santo André. O jogo foi  disputado no Estádio Bruno José Daniel, casa do time paulista.

Tabela do Campeonato Brasileiro Série D (2013) – Foto: CBFTabela do Campeonato Brasileiro Série D (2013) – Foto: CBF

O placar só foi aberto no segundo tempo, aos nove minutos com Muller, camisa 9 do Leão, e aos 28′, Juninho ampliou. Mesmo assim o Marinheiro não se deu por vencido e Tardelli marcou aos 31′, e nos pés de Leandro Farias veio o empate, apenas três minutos depois.

A partida se encaminhava para a prorrogação, até que Junior Paulista virou o jogo aos 39′. Ali se encerrou a tão sonhada classificação, e iniciou o jejum de sete anos até a volta ao campeonato nacional.

Jogo do Santo André contra o Marcílio Dias (3×2) – Foto: Reprodução internetJogo do Santo André contra o Marcílio Dias (3×2) – Foto: Reprodução internet

Jogos do grupo A7

Marcílio Dias 1×1 Santo André
Data: 01/06/2013
Estádio Doutor Hercílio Luz, Itajaí (SC)

Juventude 2×1 Marcílio Dias
Data: 12/06/2013
Estádio Alfredo Jaconi, Caxias do Sul (RS)

Marcílio Dias 2×1 Penapolense
Data: 07/07/2013
Estádio Doutor Hercílio Luz, Itajaí (SC)

Villa Nova 0x3 Marcílio Dias
Data: 13/07/2013
Estádio Castor Cifuentes, Nova Lima (MG)

Marcílio Dias 0x0 Villa Nova
Data: 28/07/2013
Estádio Doutor Hercílio Luz, Itajaí (SC)

Penapolense 2×0 Marcílio Dias
Data: 10/08/2013
Estádio Tenente Carriço, Penápolis (SP)

Marcílio Dias 1×0 Juventude
Data: 18/08/2013
Estádio Doutor Hercílio Luz, Itajaí (SC)

Santo André 3×2 Marcílio Dias
Data: 25/08/2013
Estádio Bruno José Daniel, Santo André (SP)

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Catarinense

Loading...