Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


A entrevista do ex-atacante Evando que relatou os erros de planejamento no Avaí

O ex-artilheiro Evando usou a réplica das acusações do Augusto Inácio no Trófeu Avaí para, de forma sincera, expor alguns erros de planejamento do Avaí na temporada.

A entrevista do Evando para o Troféu Avaí na semana passada, uma página da web de torcedores do clube, em resposta às acusações feitas pelo ex-treinador do clube, o português Augusto Inácio, foi um grande serviço prestado para a torcida do clube em geral: o artilheiro que agora sonha em seguir a carreira de treinador, em quase duas horas conseguiu, pelas suas palavras, apresentar um raio x do amadorismo que impera no sul da ilha, em termos de montagem e administração de elenco.

Evando Camillato poupou o presidente Battisttotti, se defendeu e expôs erros na montagem do elenco do Avaí.  – Foto: Diogo de Souza/NDEvando Camillato poupou o presidente Battisttotti, se defendeu e expôs erros na montagem do elenco do Avaí.  – Foto: Diogo de Souza/ND

Pressionado pelo bom nível das perguntas, Evando entregou o ouro. Disse, por exemplo, que o Rodrigão foi contratado doente (não quis especificar o problema); disse que o Ralf teve um comportamento exemplar no clube (o volante foi flagrado numa boate, gravíssimo em tempos de pandemia). Ora, se Ralf foi exemplar, porque então foi dispensado? Sempre preservando o presidente Battistotti de alguma culpa, disse que o Avaí tem o mérito de abrir espaços para jogadores novos. Esquecendo que nesta temporada o clube apostou no já citado Ralf e outros veteranos como Bruno, Wesley, Edilson e renovou na semana passada com o Betão. Relembrando que na temporada retrasada contratou o “aposentado” Douglas que aproveitou bem as suas férias aqui na capital. Sobre o presidente, seu sócio numa lancha (a situação não é ilegal, mas convenhamos, é imoral), Evando defendeu e justificou as irritações do presidente Battistotti com a torcida e imprensa: “Ele tem sangue de italiano, assim como eu”.

Evando sai do profissional e vai comandar o sub-23

No meio de um turbilhão de críticas por parte dos torcedores e alvo de acusações do ex-treinador Augusto Inácio, o ex-atacante Evando foi “rebaixado” de função na Ressacada. Deixa de atuar no time profissional como assistente técnica e passa a comandar o time do sub-23. Evando assume o lugar do técnico Gabriel Bussinger que vai ganhar uma oportunidade para trabalhar ao lado do Claudinei Oliveira.