A queda em números: a decepcionante campanha do Avaí na Série A

Com baixo aproveitamento ofensivo e média de mais de um gol sofrido por jogo, equipe tem 2ª pior campanha da história dos pontos corridos com 20 equipes

A baixa produtividade do setor ofensivo foi ponto marcante da campanha decepcionante do Avaí na Série A em 2019. A reportagem do ND+ levantou o número de gols marcados, sofridos, artilheiros e a maneira como o Leão da Ilha balançou as redes durante as 38 rodadas do Brasileirão.

Atacante Brenner é um dos que deu adeus ao Avaí após a Série A – Foto: André Palma Ribeiro/Avaí/ND

Números que explicam a segunda pior campanha da história dos pontos corridos com 20 equipes, formato inserido a partir de 2006. O pior desempenho fica com o América de Natal, em 2007, quando somou apenas 17 pontos em 38 rodadas.

Baixo número de gols

Em 38 partidas o time azurra balançou a rede em apenas 17; em outras 21 o ataque da equipe passou em branco. Das vezes em que foi às redes, apenas em um (contra Cruzeiro) marcou mais de um gol na mesma partida.

O artilheiro do Leão na competição foi o meia João Paulo, com cinco gols. Desses, três foram de pênalti, contra Fluminense (turno e returno) e Palmeiras.

Leia também:

Outro ponto que chamou a atenção na produtividade ofensiva avaiana foi a pouca variação de jogadas. Dos 18 tentos na competição, oito foram originados de cruzamentos para a área, sendo três gols de cabeça.

Metade dos gols (nove) foram originados em bola parada (escanteios, faltas e pênaltis) e outros nove com a bola rolando.

Já de “pé em pé”, com a bola no chão, apenas os gols de João Paulo contra o Santos na Vila Belmiro, e do atacante Vinícius Araújo, após assistência de Douglas, na derrota para o Fortaleza (3 a 1) na Ressacada.

Gols de bola parada:

Brizuela (contra o Atlético-MG), Pedro Castro (Cruzeiro), Brenner (Cruzeiro)*, Richard Franco (Corinthians), João Paulo (Fluminense)*, Jonathan (Atlético-MG), Gegê (Grêmio), João Paulo (Palmeiras)*, João Paulo (Fluminense)*.

* Gols de pênalti.

Gols com bola rolando:

Michel contra (Grêmio), Daniel Amorim (Vasco), Brenner (Ceará), João Paulo (Santos), Jonathan (Athletico Paranaense), Jonathan (CSA), Vinícius Araújo (Fortaleza), João Paulo (Santos), Lourenço (Flamengo).

Artilheiros:

João Paulo (5 gols) | Jonathan (3 gols) | Brenner (2 gols) | Brizuela (1 gol) | Daniel Amorim (1 gol) | Pedro Castro (1 gol) | Richard Franco (1 gol) | Gegê (1 gol) | Vinícius Araújo (1 gol) | Lourenço (1 gol) | Gol contra (1).

O ataque teve média de 0,47 gols por partida

João Paulo foi o artilheiro do Avaí com cinco gols – Foto: Frederico Tadeu/Avaí FC

Partidas em que o Avaí marcou gols:

  • Atlético Mineiro 2×1 Avaí (1ª Rodada)
  • Avaí 1×1 Grêmio (2ª Rodada)
  • Vasco 1×1 Avaí (5ª Rodada)
  • Avaí 1×2 Ceará (6ª Rodada)
  • Santos 3×1 Avaí (12ª Rodada)
  • Avaí 2×2 Cruzeiro (14ª Rodada)
  • Avaí 1×1 Corinthians (16ª Rodada)
  • Fluminense 0x1 Avaí  (17ª Rodada)
  • Athletico 0x1 Avaí (19ª Rodada)
  • Avaí 1×0 Atlético Mineiro (20ª Rodada)
  • Grêmio 6×1 Avaí (22ª Rodada)
  • CSA 3×1 Avaí (23ª Rodada)
  • Avaí 1×2 Palmeiras (28ª Rodada)
  • Avaí 1×3 Fortaleza (29ª Rodada)
  • Avaí 1×2 Santos (31ª Rodada)
  • Avaí 1×1 Fluminense (36ª Rodada)
  • Flamengo 6×1 Avaí (37ª Rodada)

Setor defensivo

O setor defensivo foi outro ponto crítico do Avaí durante a competição. A equipe sofreu 62 gols em 38 rodadas, média de 1,6 por partida.

Em 38 jogos o Leão não sofreu gols apenas em nove, empatando seis vezes por 0 a 0. Diversas duplas e trios de zaga foram testadas envolvendo Betão, Marquinhos Silva, Ricardo, Kunde, Zé Marcos e até Luanderson (improvisado).

Partidas em que o Avaí não sofreu gols:

  • Avaí 0x0 CSA (4ª Rodada)
  • Avaí 0x0 São Paulo (8ª Rodada)
  • Avaí 0x0 Goiás (11ª Rodada)
  • Fluminense 0x1 Avaí (17ª Rodada)
  • Athletico 0x1 Avaí (19ª Rodada)
  • Avaí 1×0 Atlético MG (20ª Rodada)
  • Avaí 0x0 Vasco (24ª Rodada)
  • Cruzeiro 0x0 Avaí (33ª Rodada)
  • Avaí 0x0 Athletico (38ª Rodada)

Falta de sequência

Com três técnicos diferentes durante a competição (Geninho, Valentim e Evando), o Avaí repetiu a escalação, em duas rodadas seguidas, apenas uma única vez: na 17ª e 18ª rodada, contra Fluminense e Flamengo, respectivamente.

Nas ocasiões o Avaí entrou em campo com: Vladimir; Iury, Ricardo, Marquinhos Silva e Igor Fernandes; Pedro Castro, Richard Franco e João Paulo; Caio Paulista, Brenner e Lourenço.

  • Geninho comandou o Avaí da 1ª a 9ª rodada
  • Alberto Valentim comandou o Avaí da 10ª a 24ª rodada
  • Evando comandou o Avaí da 25ª a 38ª rodada

Geninho, Alberto Valentim e Evando comandaram o Avaí durante a Série A – Foto: Reprodução/ND

Sequência invicta

Foram poucos os jogos em sequência que o torcedor não sofreu com uma derrota do Leão. Sendo no máximo duas partidas seguidas sem derrota.

  • 0x0 (CSA) e 1×1 (Vasco) – 4ª e 5ª rodada
  • 1X1 (Corinthians) e 1×0 (Fluminense) – 16ª e 17ª rodada
  • 1×0 (Athletico) e 1×0 (Atlético MG) – 19ª e 20ª rodada

Números por técnico:

Geninho: 9 jogos | 0 vitórias | 4 empates | 5 derrotas

Valentim: 15 jogos | 3 vitórias | 4 empates | 8 derrotas

Evando: 14 jogos | 0 vitórias | 3 empates | 11 derrotas

Números finais: 38 jogos | 3 Vitórias | 11 empates | 24 derrotas | 17,5% de aproveitamento.

Destaques

Como destaques individuais da equipe ficam o goleiro Vladimir (que deixa o Leão e retorna ao Santos em 2020), e o jovem atacante Jonathan que mostrou qualidade no comando do ataque e marcou três gols na competição.

O jovem atacante Jonathan foi um dos poucos pontos positivos do Leão – Foto: Divulgação/Avaí

Marca negativa

Com apenas três vitórias em 38 jogos, o Avaí bateu o recorde negativo que pertencia ao América de Natal, em 2007, em número de triunfos. Na ocasião, a equipe somou apenas 17 pontos, mas venceu quatro jogos na campanha.

Por pontuação, a campanha de 2019 é a segunda pior da história dos pontos corridos com 20 equipes. Veja os números:

  1. – 2007: América RN -> 17 pontos | 4V | 5E | 29D
  2. – 2019: Avaí -> 20 pontos | 3V | 11E | 24D
  3. – 2013: Naútico -> 20 pontos | 5V | 5E | 28D
  4. – 2018: Paraná Clube -> 23 pontos | 4V | 11E | 23D
  5. – 2010: Grêmio Prudente -> 28 pontos | 7V | 10E | 21D*
  6. – 2016: América MG -> 28 pontos | 7V | 7E | 24D
  7. – 2006: Santa Cruz -> 28 pontos | 7V | 7E | 24D
  8. – 2012: Figueirense -> 30 pontos | 7V | 9E | 22D
  9. – 2015: Joinville -> 31 pontos | 7V | 10E | 21D
  10. – 2011: Avaí -> 31 pontos | 7V | 10E | 21D
  11. – 2009: Sport -> 31 pontos | 7V | 10E | 21D
  12. – 2014: Criciúma -> 32 pontos | 7V | 11E | 20D
  13. – 2008: Ipatinga -> 35 pontos | 9V | 8E | 21D
  14. – 2017: Atlético GO -> 36 pontos | 9V | 9E | 20D

* Em 2010 o Grêmio Prudente perdeu 3 pontos pela escalação irregular do zagueiro Paulão na partida contra o Flamengo pela terceira rodada da competição.

+

Avaí