Avaí cobra e possível fraude no episódio Valdívia deverá ser investigada

Clube questiona a celeridade do exame do meia Valdívia que, no duelo com o CSA, jogou 45 minutos infectado pela Covid-19; laboratório que realizou o exame tem suposta ligação com dirigente alagoano

“Eu nunca vi um resultado tão rápido”, admitiu o integrante do Departamento Médico do Avaí, Pedro Araújo, sobre o episódio envolvendo o meia Valdívia que, após jogar 45 minutos, precisou ser sacado no intervalo após receber o resultado positivo para a Covid-19.

O Avaí, em duelo contra o CSA na tarde deste sábado (16), só empatou e, praticamente, sepultou suas chances de acessar à Série A na próxima temporada.

Avaí comemora o gol marcado por Renato, o empate com o CSA, em Alagoas; resultado insuficiente e polêmica do teste positivo do meia Valdívia. Foto: Morgana Oliveira/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAvaí comemora o gol marcado por Renato, o empate com o CSA, em Alagoas; resultado insuficiente e polêmica do teste positivo do meia Valdívia. Foto: Morgana Oliveira/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O tema promete render ainda. Não só pelo ineditismo da situação envolvendo a saída de um atleta no intervalo de partida, mas pela celeridade do resultado do exame.

A informação repassada pelo médico é que a coleta da amostra foi feita às 10h30 deste sábado (16) visando o próximo jogo do Avaí na Série B, na terça-feira, contra o Juventude.

“Como não haveria tempo hábil para chegar em Florianópolis, realizar o exame e aguardar, fizemos aqui em Maceió nesta manhã”, argumentou o integrante do DM azurra.

Notificação ao final do primeiro tempo

Ainda de acordo com Pedro Araújo, no final da primeira etapa o clube recebeu um comunicado de um coordenador da CBF. Como o representante da entidade não tinha a “comprovação” o jogo transcorreu de maneira normal na primeira etapa.

No intervalo, aí sim, o Avaí recebeu o documento que oficializou a confirmação de que o atleta fora contaminado.

Clube mostra incômodo com a notificação

O Avaí, por meio do médico do clube que estava com a delegação, além do técnico Claudinei Oliveira, questiona não só a celeridade incomum do procedimento, bem como a maneira na qual foi “avisado”.

Para o clube essa notificação deveria chegar diretamente no Avaí e, não, por intermédio da CBF. Pedro Araújo e Claudinei Oliveira também levantaram uma hipótese: de que o laboratório no qual o Avaí realizou os testes, é de posse de um dirigente do CSA.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do clube alagoano que imediatamente alegou ser “responsabilidade da CBF/Avaí”.

Já a CBF não retornou o contato da reportagem até a publicação da matéria.

Contraprova e isolamento

O Avaí, conforme informado pelo médico na coletiva depois do jogo, informou que “pela saúde do atleta” vai pedir a contraprova do exame.

Valdívia foi testado as 10h30 do sábado (16) e, em menos de oito horas, já tinha o resultado positivado para a Covid-19; celeridade causa estranheza – Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FCValdívia foi testado as 10h30 do sábado (16) e, em menos de oito horas, já tinha o resultado positivado para a Covid-19; celeridade causa estranheza – Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC

Pedro informou que, como Valdívia era companheiro de quarto do zagueiro Rafael Pereira, o clube estaria menos preocupado com uma possível contaminação pelo elenco.

O Avaí também informou que já encontrou uma maneira de isolar o atleta que deverá ter um esquema especial para retornar a Florianópolis.

O Avaí volta a capital de Santa Catarina já que, na terça-feira, encara o Juventude no estádio da Ressacada.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Avaí