Avaí e Figueirense dão andamento a “plano B” após Florianópolis manter veto

Dupla da capital, com apoio da Federação Catarinense de Futebol já encaminhou dois estádios em Palhoça, após Gean Loureiro dizer "não" a modalidade na capital

A prefeitura de Florianópolis e os times da cidade que desejam a retomada do Campeonato Catarinense seguem sem se entender. Figueirense e Avaí, com respaldo da Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCClubes) e da Federação Catarinense de Futebol (FCF), protocolaram novo pedido solicitando a liberação de treinamentos coletivos e partidas oficiais. O prefeito da capital de Santa Catarina, Gean Loureiro (DEM), porém, sinaliza que o veto continuará.

Prefeito de Florianópolis Gean Loureiro (DEM) – Foto: Facebook/DivulgaçãoPrefeito de Florianópolis Gean Loureiro (DEM) – Foto: Facebook/Divulgação

“Todos aqueles que elogiam os resultados de Florianópolis esquecem que foram obtidos porque as posições são técnicas e tem a pressão para sua atividade acontecer. Não apenas o retorno do futebol. São todas as atividades coletivas, podem gerar novos contágios. Nossa avaliação é técnica. Não agimos sobre pressão, nem para ganhar aplauso da sociedade. É evitar qualquer tipo de transmissão”, afirmou Loureiro em entrevista ao Grupo NSC.

Leia também

De acordo com o “Covidômetro”, ferramenta que informa o número de casos na capital do Estado, Florianópolis soma 1.155 casos confirmados para Covid-19, além de 10 mortos.

Já no Estado são 14.402 confirmados para o novo coronavírus, com 216 mortes.

“Neste momento estamos avaliando transporte coletivo. Até não normalizar não vamos discutir novas liberações. Se fizer liberação geral, vamos ter que fazer um fechamento geral para economia e isso é pior. Entendo que os clubes de futebol geram empregos, tem necessidade de sobreviver, mas neste momento vamos priorizar a vida. Vamos manter o posicionamento técnico como desde o início. Estamos em estado de alerta, a pandemia não acabou. Outra capitais do Sul, em função do aumento das mortes, tiveram que fechar diversos serviços. Vamos fazer liberação gradual, mas sem que isso possa aumentar o número de mortes”, completou.

Plano B

Por conta desse cenário, Avaí e Figueirense deram andamento ao “plano B”. Representantes da FCF estiveram em Palhoça para vistoriar os estádios que a dupla respectivamente escolheu.

O Avaí optou pelo estádio Renato Silveira, que pertence ao Guarani e vem sendo utilizado para os treinamentos presenciais, enquanto o Figueirense escolheu o Campo do Avante, cujo dono é o Avante Futebol Clube, por conta da proximidade com o CFT do Cambirela, onde treina o elenco. As diretorias de ambos os clubes, porém, ainda estudam a possibilidade de outros locais.

Retorno do estadual

Criciúma e Marcílio Dias abrirão o mata-mata do Campeonato Catarinense em 8 de julho, às 19 horas, no estádio Heriberto Hülse. Conforme a reportagem do nd+ apontou no início da semana, o prazo está ameaçado uma vez que ambos os clubes não foram autorizados.

Itajaí e tampouco a Capital do Carvão liberaram o trabalho físico coletivo em seus municípios. Ao contrário de outros rivais, Tigre e Marinheiro não conseguiram dar início, sequer, aos trabalhos físicos.

Mais jogos

Na mesma quarta-feira, a Chapecoense enfrentará o Avaí, às 21h30, na Arena Condá.

No dia seguinte, pela sequência das quartas de final, o Juventus receberá o Figueirense, às 18h30, em Jaraguá do Sul, enquanto o Joinville desafiará o Brusque, às 21 horas, em casa.

O rebaixamento, que esse ano prevê a queda de apenas um clube, está será definida entre Tubarão x Concórdia. O primeiro duelo está marcado na cidade do Sul do Estado que, até a próxima segunda-feira, não vai liberar a prática coletiva do futebol.

+ Avaí