Geninho contabiliza seu pior aproveitamento a frente do Avaí

Com 130 jogos pelo Avaí, Geninho soma dois acessos e um título Catarinense; sua terceira passagem pelo clube, no entanto, aparece como a mais tímida de todas: 42% de aproveitamento

Depois de mais uma derrota na Série B o Avaí chegou ao terceiro jogo seguido sem vitória. O técnico Geninho, em entrevista concedida depois do revés diante do Guarani, 2 a 1, afirmou que não tem medo da demissão. O fato é que o comandante, em sua terceira passagem pelo Avaí, soma o seu pior aproveitamento.

Técnico Geninho chega do Avaí na Ressacada nesta manhã; terceira e pior das passagens do técnico pelo Sul da Ilha até aqui – Foto: Leandro Boeira/Avaí F.C

A temporada do Avaí não vem sendo fácil. Com frustrações escalonadas o ano que começou recheado de expectativa a partir de um discurso de “briga pelo título” também na Série B, muito amparado no nível dos reforços anunciados, o fato é que a versão 2020 (2021) não engrenou.

Geninho, que chegou sob muito otimismo desde o início da campanha na Série B, até aqui, não “decolou” a nave azurra.

Passados 18 jogos ou, nesse caso, quase um turno dessa edição da Série B, o Avaí é só o 11º colocado com sete vitórias, dois empates e nove derrotas. São 42% de aproveitamento o que, nesse momento, consolida o pior desempenho avaiano sob os cuidados do técnico Geninho.

Na primeira passagem do paulista de Ribeirão Preto em 2014, em seus 18 jogos iniciais, Eugênio Machado Souto fez 64% de aproveitamento. Em campanha de recuperação e que culminou com o acesso à Série A naquele ano, o Avaí fez 10 vitórias, cinco empates e apenas três derrotas.

Já na segunda passagem do Geninho pelo Sul da Ilha, em 2018, o desempenho foi um pouco inferior, mesmo assim, melhor que a atual performance: 51% a partir de sete vitórias, sete empates e quatro derrotas.

Números inferiores aos desempenhos gerais

Somadas as passagens do experiente profissional, Geninho já contabiliza a significativa marca de 130 jogos a frente do Avaí.

Geninho a frente do Avaí; passagem de 2014 teve um início de 64% de aproveitamento nos primeiros 18 jogos e o acesso à Série A do ano seguinte – Foto: Avaí FC/divulgação

Em 2014, quando chegou, conquistou o acesso à Série A do ano seguinte, mas não teve a oportunidade de dirigir a equipe na elite de 2015: saiu em março com um total de 42 jogos e 47% de aproveitamento.

Já em 2018 o desempenho ascendeu em relação ao mesmo início. Além do acesso a Série A, o Leão da Ilha foi o campeão catarinense de 2019 ainda sob a tutela do professor. Geninho, em seu recorde a frente do clube, fez 70 jogos ao longo de 14 meses e um aproveitamento de 53%, além desse caneco.

Sem medo da demissão

Depois de dizer, em sua entrevista coletiva, que não tem medo da sua demissão, resta saber até onde vai essa passagem do técnico Geninho.

Se, a partir de agora, ascende de vez ou fecha mais um capítulo de, independente de qualquer coisa, uma bonita história do profissional (também) no Sul da Ilha de Santa Catarina.

+

Avaí