Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


O elogio e a crítica. Na medida e no lugar certo

Leitor questiona o tom das críticas para o treinador Geninho após a derrota do Avaí diante do Paraná.

O leitor Raymundo José, assinante do ND pergunta via e-mail se este colunista não estaria tecendo críticas injustas ao trabalho do Geninho pela derrota do Avaí diante do Paraná na última terça. Agradeço essa interatividade diária com os torcedores e torcedoras, porém respondo que onde cabe o elogio, também cabe a crítica. Esse é o nosso papel e nossa função. Na vitória do Leão da Ilha diante do Náutico, vários elogios foram feitos ao treinador Geninho, justamente por não ter inventado na escalação. O simples, o “feijão com arroz” gerou a vitória. Contra o Paraná não caberia outro comentário que não fosse o da crítica. Até porque o futebol foi feio e pobre. E é bom salientar que o próprio técnico disse isso na entrevista coletiva após a partida. Mudar um esquema vencedor do jogo anterior, optando por três zagueiros com Betão dando lançamentos para o ataque em ligação direta, é pouco para um time que tem um bom elenco à disposição e que até a premiação para o acesso (e título) já foi acertada entre o elenco com o presidente Francisco Battistotti. A crítica e o elogio no lugar e na medida certa.

+

Fábio Machado