Sócio ‘desde o Adolfo Konder’, torcedor vive expectativa por novo acesso do Avaí

Seu Miro tem uma verdadeira coleção de itens do clube em casa, mas guarda um com um carinho especial: a camiseta autografada que recebeu do ídolo Marquinhos

“O Avaí faz parte da minha vida desde que eu me conheço por gente”, conta o aposentado Valdemir de Ávila, o seu Miro, de 65 anos. Ele vive a expectativa de acompanhar mais um acesso do clube do coração à Série A.

Seu Miro tem um verdadeiro acervo em casa com itens do clube do coração – Foto: Leo Munhoz/NDSeu Miro tem um verdadeiro acervo em casa com itens do clube do coração – Foto: Leo Munhoz/ND

No próximo domingo (28), a equipe encara o Sampaio Corrêa, em Florianópolis, precisando de uma vitória para conquistar um lugar na elite.

Torcedor fanático do Leão da Ilha, ele guarda um verdadeiro acervo do clube em casa: camisetas, casacos, bermudas, gorros, revistas, quadros, bandeiras e bonés. “Tem sempre um cantinho no meu guarda-roupa para isso tudo”, brinca.

Porém, tem um item que é especial na coleção do avaiano: a camiseta utilizada pelo ídolo Marquinhos, hoje dirigente do clube, na partida contra o Londrina na Série B de 2016, que culminou no acesso do Avaí à primeira divisão do ano seguinte.

Seu Miro mostra a camisa autografada pelo ídolo Marquinhos – Foto: Leo Munhoz/NDSeu Miro mostra a camisa autografada pelo ídolo Marquinhos – Foto: Leo Munhoz/ND

“Rapaz, essa camisa tem uma história muito curiosa. O meu filho tem uma casa em Palmas, fomos lá para jantar, era época de Natal. Ele então me falou que uma pessoa vinha jantar com a gente, mas não me disse quem era”, conta Miro.

“De repente chegou um carro na frente da casa, quando vi, era o Marquinhos e toda a família dele. Eu não sabia nem como reagir, fiquei emocionado, dei um abraço nele [Marquinhos] e agredeci por tudo que ele fez pelo Avaí. É meu maior ídolo”, diz o torcedor.

“Ele me entregou a camisa que ele tinha usado no jogo do acesso e disse que era um presente para mim. Ele autografou a camisa e eu a coloquei em um quadro. É muito especial”, completa.

Porém, seu Valdemir tirou a camiseta do quadro para este domingo. Ele vai utilizá-la no jogo para “dar sorte ao Avaí”. “Essa aqui é minha camisa da sorte, usei ela no acesso de 2018 e vou usar nesse também”, afirma.

Relação com o clube

Miro é sócio do Avaí desde 1978, ainda quando o clube atuava no antigo estádio Adolfo Konder. “Quem me ensinou a amar o Avaí foi meu irmão. Minha primeira lembrança viva em um estádio foi um jogo que vencemos o Próspera por 4 a 0 na década de 1970”, relembra.

Seu Miro tem coleção de quadros de equipes campeãs do Avaí em casa – Foto: Leo Munhoz/NDSeu Miro tem coleção de quadros de equipes campeãs do Avaí em casa – Foto: Leo Munhoz/ND

“Mas o momento que mais me marcou com certeza foi quando ganhamos o Catarinense de 1975 contra o Figueirense no Orlando Scarppeli com gol do Juti”, completa.

O torcedor conta que acompanhou as obras no estádio da Ressacada, inaugurado em 1983 e frequenta o local desde a inauguração.

“Estive lá em todos os acessos. Foi inesquecível em 2008, o gol do Evando que nos levou à primeira divisão depois de tantos anos, lembro que abracei meus filhos na arquibancada, todos emocionados”, relembra o torcedor.

Decisão

Seu Miro e mais de 15 mil torcedores do Avaí devem lotar as arquibancadas do estádio da Ressacada neste domingo. Em quarto lugar na tabela da Segundona, uma vitória contra o Sampaio Corrêa coloca o Leão da Ilha na Série A em 2022.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Avaí

Loading...