Torcedores se declaram ao Avaí e contam ‘loucuras’ que já fizeram pelo clube

Leão da Ilha joga por uma vaga na Série A no próximo domingo (28); reportagem do ND+ conversou com torcedores que estiveram presentes em outros acessos

Futebol, o esporte que mexe com o sentimento de milhões de torcedores em todo o planeta, costuma trazer histórias inusitadas de promessas, superstições e até mesmo algumas “loucuras” pelo time do coração.

Torcida irá lotar a Ressacada no domingo – Foto: Frederico Tadeu/Avaí/NDTorcida irá lotar a Ressacada no domingo – Foto: Frederico Tadeu/Avaí/ND

O Avaí disputa o “jogo do ano” no próximo domingo (28) contra o Sampaio Corrêa, precisando de uma vitória simples para voltar a elite do futebol nacional. Os torcedores do Leão da Ilha, que irão lotar o estádio da Ressacada, cada um com sua fé ou crença já vivem e “respiram” o duelo de logo mais.

A reportagem do ND+ conversou com alguns apaixonados pela equipe Azurra, que estiveram presentes em outras partidas que marcaram acessos do clube à primeira divisão, sobre a expectativa para o jogo e o sentimento pelo clube.

Torcedor roda o Brasil pelo Avaí

Nem mesmo a distância diminuiu o amor do torcedor Ericson Becker Silva pelo Avaí. Morando em Brasília (DF) desde 2018, ele conta que já viajou por todo o país para poder acompanhar os jogos do Leão.

“Em 2018 o Avaí enfrentaria o CSA em Alagoas na penúltima rodada. Eu falei para minha esposa: ‘vamos passar o fim de semana em Maceió?’. Chegando lá, avisei que estava indo para o jogo do Avaí, aproveitei e uni o fim de semana em família ao futebol”, conta.

Na ocasião, o Avaí venceu O CSA por 1 a 0, com gol de Getúlio, e com um empate contra a Ponte Preta por 0 a 0 na última rodada garantiu a vaga na primeira divisão.

No acesso de 2016, ainda quando morava em Florianópolis, a ida de Ericson até Londrina (PR), em jogo da penúltima rodada que garantiu o acesso, foi “instintiva”.

Ericson aproveitou para
1 3
Ericson aproveitou para "tietar" o ídolo Marquinhos em Londrina em 2016 - Arquivo Pessoal
Ericson durante a partida Londrina 0x1 Avaí em 2016 que garantiu o acesso - Arquivo Pessoal
2 3
Ericson durante a partida Londrina 0x1 Avaí em 2016 que garantiu o acesso - Arquivo Pessoal
Avaí venceu o Londrina por 1 a 0 com gol de Diego Jardel na ocasião - Arquivo Pessoal
3 3
Avaí venceu o Londrina por 1 a 0 com gol de Diego Jardel na ocasião - Arquivo Pessoal

“Estava trabalhando na sexta-feira, uns amigos me ligaram dizendo que estavam nervosos com o jogo. Eu falei para eles: ‘nós vamos no jogo’. Saí da empresa 18h30 e fui para o Paraná. Chegamos de madrugada, acordamos e fomos para o hotel conversar com os jogadores e os dirigentes”, pontua.

Em 2021, no entanto, ele não estará presente no estádio da Ressacada. O motivo, porém, é nobre: será padrinho de casamento de um amigo. “Vou estar torcendo de longe”, afirma.

Promessa paga

Também presente nos acessos do Avaí nos últimos anos, o professor de educação física, André Gil, de 48 anos, conta que a relação com o clube vem desde 1973, quando entrava em campo, ainda criança, com os jogadores do Leão.

“Acompanhei com meu pai as obras da Ressacada, a construção da arquibancada, fui na inauguração contra o Vasco da Gama, onde perdemos de goleada, mas também estava em São Januário em 2014 quando devolvemos o favor e ganhamos de 5 a 0 [risos]”, conta o torcedor.

O acesso que mais o marcou foi o de 2008, pelo tempo que o Leão da Ilha estava fora da elite nacional – desde 1979.

André e o filho comemoram o acesso do Avaí em 2018 - Arquivo Pessoal
1 2
André e o filho comemoram o acesso do Avaí em 2018 - Arquivo Pessoal
André e o filho no estádio da Ressacada - Arquivo Pessoal
2 2
André e o filho no estádio da Ressacada - Arquivo Pessoal

“O gol do Evando contra o Brasiliense transformou a Ressacada em uma loucura. O meu filho, que na época tinha 10 anos, me pedia para não chorar, a gente se ajoelhou, vivendo a glória de estar na Série A novamente”, relata.

O acesso, inclusive, rendeu o pagamento de uma promessa. “Eu prometi na época que o dia que o Avaí fosse para a Série A eu iria caminhando até Madre Paulina e fui no dia 11 de novembro daquele ano”.

Camiseta da sorte

Ruhan Schmitt de Souza, 32 anos, natural de Palhoça, esteve em todos os acessos do Avaí desde 2008. E desde o “abençoado” gol de Evando contra o Brasiliense, ele guarda um “equipamento” especial: a camisa da sorte, autografada.

Inclusive, ele estará com ela neste domingo quando a bola rolar no estádio da Ressacada. “Essa camisa de 2008 autografada é a camisa da sorte. Vou estar com ela no domingo”, conta.

Ruhan já separou a
1 2
Ruhan já separou a "camisa da sorte" para domingo - Arquivo Pessoal
Ruhan durante partida do Avaí contra o Figueirense - Arquivo Pessoal
2 2
Ruhan durante partida do Avaí contra o Figueirense - Arquivo Pessoal

Para ele, o acesso mais marcante que acompanhou foi o de 2016. “Saímos de Palhoça em um grupo de 16 de pessoas em uma viagem de 13 horas até Londrina, foi inesquecível, gol do Diego Jardel, estava muito calor”, relembra.

Ingressos esgotados

Avaí confirmou que o lote extra de ingressos para a decisão do domingo esgotou em cerca de três horas. Dessa forma, o Leão da Ilha contará com 100% do público no estádio da Ressacada contra o Sampaio Corrêa.

Assim como na abertura para a compra de ingressos, na última quarta-feira (24), os torcedores fizeram filas nas bilheterias e não demoraram para comprar todos para o confronto que pode marcar o retorno da equipe para a elite do futebol nacional.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Avaí

Loading...