Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


Basta de violência no futebol. Pela cultura da Paz no estádios.

A cena da invasão de sábado(05) no estádio Orlando Scarpelli não pode ser admitida sob hipótese nenhuma pelas pessoas de bem da sociedade.

Cenas lamentáveis de violência – Foto: reprodução Internet

A cena de um grupo de torcedores invadindo o treino do Figueirense no sábado não pode ser admitida pela sociedade sob nenhuma hipótese. O corre-corre dos atletas e da comissão técnica no gramado do estádio Orlando Scarpelli fugindo das agressões e das palavras ofensivas debaixo de fogos de artifícios que foram soltos na hora da invasão, chocaram as pessoas de bem, corretas e pacíficas. Nenhum resultado ruim no campo justifica essa violência contra trabalhadores que num final de semana estão ali treinando para desempenhar os seus papéis de atletas e profissionais do futebol. São jovens que buscam o seu espaço ou pais de família lutando pelos seus sustento e futuro. A cena da invasão no estádio do Figueirense envergonha, constrange. E não há menor chance de que ela seja justificada pela fase de um clube de futebol. Aceitar essa aberração social, equivale aceitar a violência e a intimidação para conseguir os objetivos. E o futebol, até onde eu acredito, está muito longe disso, passa exatamente por ações contrárias. Esse grupo de torcedores (torcedores mesmo?) perderam a grande oportunidade de fazerem exatamente o contrário. Ao invés de intimidação, o apoio aos atletas, o voto de confiança. Uma lição que a grande torcida do Figueirense demonstrou para o estado, país e mundo na temporada passada, quando ao lotar o estádio Orlando Scarpelli em um jogo diante do Bragantino, cantou durante os noventa minutos, mesmo com a derrota de 3 x 0  para o adversário. A cena comoveu e correu o planeta da bola, provando que não é “apenas só o futebol’. Poderia ter sido repetida no sábado, mas infelizmente foi exatamente o contrário: da admiração para a decepção. O ato injustificado e lamentável do último sábado, uniu a FCF (Federação Catarinense de Futebol), a SC Clubes, CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e entidades com pessoas do bem que através de notas de repúdio, condenam veementemente o ato e demonstram solidariedade ao Figueirense e aos seus funcionários, vítimas da barbárie neste fim de semana. É preciso transformar a cultura da agressão para a cultura da paz. O primeiro passo, é não aceitar de forma alguma o que ocorreu no último sábado. Basta de violência de futebol.

Nota de repúdio da FCF

Nota de repúdio – Foto: FCF

Nota de repúdio da SC (Associação de Clubes Profissionais de Santa Catarina).

Basta de violência – Foto: SC Clubes/divulgação