Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


Cedo para falar no clássico Avaí e Figueirense? Claro que não

O clássico é na próxima terça na Ressacada. Mas antes, Avaí e Figueirense encaram outros adversários. Olho nos atletas pendurados por causa dos cartões amarelos.

Dessa vez sem a presença da torcida no clássico. – Foto: ESTADÃO CONTEÚDO/ND

Apesar dos rivais Avaí e Figueirense jogarem nesta sexta e sábado, contra o Cruzeiro e Guarani respectivamente, não dá para evitar no planejamento interno das duas equipes, o clássico marcado para a próxima terça-feira(29) no estádio da Ressacada pela décima segunda rodada do brasileiro da Série B. Mesmo negando externamente, nos corredores da Ressacada e do Scarpelli, desde já, os treinadores coçam a cabeça pensando nas possibilidades e nas escalações, levando em consideração, a relação do atletas pendurados com o terceiro cartão amarelo. No Figueirense, o zagueiro Alemão e os meias Marquinho e Matheus Neris “limparam” os cartões na vitória diante do América-MG e desfalcam o alvinegro no sábado diante do Guarani no estádio Orlando Scarpelli, garantindo assim suas presenças no clássico. No entanto, o alvinegro tem três atletas pendurados com três cartões amarelos: o atacante Diego Gonçalves, o lateral Sanchez e o zagueiro Pereira. Atravessando a ponte, Geninho não deve nem pensar em poupar os pendurados Rildo e Gastón diante do Cruzeiro. Já que está com o elenco reduzido por causa dos prováveis dispensados, entre eles o lateral esquerdo Leonan, que também está com três cartões amarelos. Mesmo sendo um clássico diferenciado, sem a presença da torcida nas arquibancadas, não dá para menosprezar o confronto histórico, um clássico quase centenário, capaz de projetar heróis e vilões, e principalmente, acabar com crises internas em caso de vitória em cima do principal rival. Afinal, clássico é clássico!