“A partir de hoje, sou torcedor da Chapecoense”, disse Maradona após a tragédia

Argentino prestou solidariedade ao clube após acidente de avião na Colômbia

Há quatro anos, Diego Maradona usou sua conta oficial no Facebook para prestar solidariedade às vítimas do acidente com o avião que levava a Chapecoense. O argentino morreu nesta quarta-feira (25). 

À época, em novembro de 2016,  o argentino prestou solidariedade e disse que virou torcedor do clube catarinense após o acidente aéreo que matou 71 pessoas. 

Publicação de Maradona à época – Foto: Reprodução/NDPublicação de Maradona à época – Foto: Reprodução/ND

“Meus pêsames para os familiares da Chapecoense, do Brasil, e de todas as pessoas que morreram no trágico acidente de avião, na Colômbia. Lamentavelmente, esses rapazes, que vinham abrindo caminho à força no futebol, pegaram o avião errado. A partir de hoje, sou torcedor da Chapecoense”, escreveu Maradona.

Chapecoense lamenta morte

A Associação Chapecoense de Futebol usou das redes sociais para manifestar o seu pesar pela morte do maior ídolo do esporte argentino, Diego Armando Maradona Franco, aos 60 anos.

“Independente de nacionalidade, camisa ou bandeira, todo o futebol perde quando um ídolo parte. Estamos consternados com a notícia do falecimento de Diego Armando Maradona”, afirmou o clube catarinense.

A Chapecoense lembrou do apoio prestado por Maradona no acidente aéreo que matou a delegação do clube em 2016.   “No momento mais difícil da nossa história, Maradona afirmou: “Desde hoy, soy hincha del Chapecoense”.

Maradona se recuperava de uma cirurgia de um hematoma subdural no começo do mês, mas o quadro não era dos mais simples. No início da tarde desta quarta, chegou a confirmação da morte do eterno camisa 10 da Argentina.

Acidente 

O avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, caiu na madrugada de terça-feira, dia 29 de novembro, a poucos quilômetros da cidade colombiana.

Das 77 pessoas que ocupavam a aeronave, 71 delas morreram. Seis foram resgatadas com vida e foram levadas para o hospital: os jogadores Alan Ruschel, Neto e Follmann, o jornalista Rafael Henzel, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez.

O goleiro Danilo também tinha sido resgatado com vida, mas morreu no hospital. Henzel morreu em 2019 vítima de um infarto durante uma partida de futebol.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Chapecoense