Chapecoense perde outra e se torna o pior mandante da história da Série A

Chapecoense - que só tem uma vitória na competição conquistada fora de casa - perdeu para o Sport, chegou a sua 24ª derrota na Série A e entrou para a história sem vencer diante do seu torcedor

Se alguém poderia esperar um jogo mais aberto pela falta de responsabilidade acabou se enganando. Chapecoense e Sport fizeram um jogo feio, de poucas chances de gols e que só teve um gol marcado aos 42 minutos do segundo tempo.

Luciano Juba fez 1 a 0 para o time pernambucano, nesta segunda-feira (6) à noite, no encerramento da 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com ambos rebaixados à Série B, a Chapecoense se despediu de seu torcedor e com apenas 15 pontos em 37 jogos. Não venceu nenhuma em casa, com seis empates e 13 derrotas. Outrora um trunfo, a Arena Condá não ajudou deste vez. O Sport, com apenas 23 gols e pior ataque, continua na vice-lanterna com 37 pontos.

Chapecoense x Sport; 24ª derrota do Verdão na Série A - Marcio Cunha/ACF
1 3
Chapecoense x Sport; 24ª derrota do Verdão na Série A - Marcio Cunha/ACF
Chapecoense entra para a história da Série A como o único time sem vencer em casa - Marcio Cunha/ACF/divulgação
2 3
Chapecoense entra para a história da Série A como o único time sem vencer em casa - Marcio Cunha/ACF/divulgação
Chapecoense x Sport, pela 37ª rodada da Série A - Marcio Cunha/ACF
3 3
Chapecoense x Sport, pela 37ª rodada da Série A - Marcio Cunha/ACF

Na última rodada, quinta-feira, a Chapecoense vai ao Maracanã para enfrentar o Fluminense, que ainda briga por uma vaga na Copa Libertadores. O Sport vai receber o Athletico, que deve poupar jogadores de olho nos jogos finais da Copa do Brasil contra o Atlético-MG.

O jogo começou acirrado e com um lance ríspido de Geuvânio, da Chape, que pisou no tornozelo de José Welison, volante do Sport. O árbitro mineiro Paulo César Zanovelli nem marcou a falta, mas acabou sendo chamado pelo VAR para rever a gravidade do lance. Constatada a violência, Geuvânio acabou expulso e, por reclamações, Renê Júnior e Mike receberam o cartão amarelo aos 9 minutos.

Mesmo com um jogador a menos, a Chapecoense não recuou e conseguiu manter o equilíbrio das ações, inclusive, chegando melhor no ataque. Mas os dois times finalizaram pouco e sem perigo.

No início do segundo tempo, o Sport ensaiou uma pressão ofensiva. Quase abriu o placar numa cabeçada de Miakael, que tirou tinta da trave direita. Mas depois, aos poucos, o ritmo caiu de novo e ficou no marasmo.

A Chapecoense só se arriscou nos últimos minutos na esperança de marcar o gol da vitória. Mas faltou força e finalização. Não deu. Quando vivia seu melhor momento no jogo, o time da casa sofreu o gol. Luciano Juba arriscou chute de longe, a bola desviou e entrou. Antes de chegar às redes ainda bateu forte no travessão. Isso aos 42 minutos. Tudo liquidado.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE – João Paulo; Ronei, Joilson, Ignácio e Mancha; Moisés Ribeiro (Ryan), Marquinho, Renê Júnior (Busanello) e Mike (Rodrigo Silva); Geuvânio e Perotti (Henrique Almeida). Técnico: Felipe Endres.

SPORT – Mailson; Ewerthon, Sabino, Rafael Thyere e Chico (Luciano Juba); Marcão Silva (Ronaldo Henrique), José Welison (Cristiano), Everton Felipe e Gustavo Oliveira (Pedro Victor); Tréllez (Flávio Souza) e Mikael. Técnico: Gustavo Florentin.

GOL – Luciano Juba, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG)

CARTÕES AMARELOS – Mike, Moisés Ribeiro e Renê Júnior (Chapecoense). José Welison, Rafael Thyere, Sabino e Marcão Silva (Sport).

CARTÃO VERMELHO – Geuvânio (Chapecoense).

RENDA – R$ 33.747,50

PÚBLICO – 1.658 pagantes.

LOCAL – Arena Condá, em Chapecó (SC).

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Chapecoense

Loading...