Da lanterna ao título: Chapecoense ascende na temporada e conquista a taça com méritos

Verdão do Oeste teve um início de campeonato ruim e terminou a primeira fase com somente duas vitórias; mudança de técnico e de postura foram determinantes para a "virada" Condá

“De último colocado nós fomos campeões”. Foi dessa forma que, dentre outras coisas, o capitão Alan Ruschel falou após levantar a taça de campeão Catarinense pela Chapecoense. Depois de bater o Brusque na tarde deste domingo (13) por 1 a 0 – em cima de uma vantagem de 2 a 0 conquistada na última quarta-feira – a Chape confirmou seu favoritismo e levantou a sua 7ª edição de estadual em sua história.

Chapecoense é campeã catarinense pela 7ª vez em sua história – Foto: Fernando Remor/O Fotográfico/Estadão Conteúdo

Quem pega a tabela do campeonato catarinense, em suas primeiras rodadas, pode atestar que a Chape, de fato, saiu da última colocação para o título. Ainda com Hemerson Maria o Verdão do Oeste patinou na tabela e foi conseguir a vaga às finais somente na última rodada e com apenas duas vitórias ao longo da primeira fase.

Já sob o comando de Umberto Louzer, a Chapecoense consolidou uma linha de defesa intransponível, derrubou os adversários e finalmente chegou ao título de maneira incontestável.

“Minha família e as pessoas mais próximas sabem o que eu passei e o que eu passo dentro do clube, eu me sinto muito orgulhoso em levantar esse título. É o que eu sempre digo, nunca foi só futebol”, descreveu, muito emocionado, o capitão Alan Ruschel.

Umberto Louzer, em entrevista coletiva após o duelo, falou sobre o time ascender da última colocação até o título.

“É parabenizar os atletas. Eles são os responsáveis por sairmos da lanterna e ficarmos com o título. Eles abraçaram a ideia, tiveram lucidez, muito trabalho e agora estão todos de parabéns”, sublinhou Louzer.

A Chapecoense terminou o estadual com: 15 jogos, 6 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. Marcou 14 gols e sofreu 8. Foi um

Crias da base levantando o primeiro caneco

Atletas como Vini Locatelli e Ronei, criados nas canteras da Arena Condá, sabem como poucos a alma que acomete o clube. Foi nesse domingo que os atletas comemoraram o primeiro título na condição de profissionais.

“É muito gratificante, vim da base, fomos conseguindo bons resultados, sequência, expressão, fico muito feliz e orgulhoso de conquistar esse título que, se Deus quiser, será o primeiro de muitos”, relatou Ronei que entrou na partida, ainda na segunda etapa, na vaga de Matheus Ribeiro.

Tiepo, que é cria da base e fez boa parte de 2019 a frente da meta da Chape, também celebrou a conquista. O arqueiro usou um perfil na rede social para homenagear o Verdão.

View this post on Instagram

Campeão catarinense 2020!!!!! 🏆💚🥇

A post shared by Giovanni Tiepo (@giotiepoo) on

Missão cumprida no lado vice-campeão

Evidentemente que o sentimento, em meio aos quadricolores, era de frustração, afinal, como buscar consolo diante da perda de um título.

O copo meio cheio, porém, precisa ser valorizado no time do Vale do Itajaí. Além da sequência de conquistas do clube, o bom desempenho na Série C onde lidera o seu grupo mesmo com um jogo a menos, o Brusque é o único catarinense vivo na Copa do Brasil.

Mais que isso, caiu “em pé” diante de um adversário duro e que apresenta seu momento mais consolidado na temporada. A Chapecoense é líder da Série B por aproveitamento.

Mesmo com dois jogos a menos que os adversários, ocupa a 4ª colocação com um ponto a menos que os três primeiros.

“Perdemos para um dos líderes da Série B, não foi para qualquer equipe”, analisou o técnico Jersinho Testoni.

Anselmo Ramon sai para comemorar seu gol diante do Brusque. Esse é o 7º título da Chape em SC – Foto: Eduardo Valente/Ishoot/Estadão Conteúdo

Antes disso ele, mais uma vez, lamentou a derrota e a perda do título, mas fez questão de exaltar o grupo “que em nenhum momento se omitiu”.

“Eu acho que a gente lutou, colocamos nossa forma de jogar, nenhum momento o grupo se omitiu. Fizemos uma campanha muito sólida, mas faz parte esse grupo está chegando”, acrescentou o técnico.

Testoni ainda elogiou a “solidez defensiva” da Chapecoense e que, apesar da tentativa e da estratégia montada, o Marreco não foi feliz em termos de resultado.

Sem mais o que lamentar, Jerson Testoni lembrou que na próxima quarta-feira (16), a partir das 21h30, o Brusque já recebe o Ceará, pela primeira partida da 4ª fase da Copa do Brasil 2020.

“Tem uma decisão já na quarta-feira, temos que nos concentrar, levantar a cabeça e tentar o resultado diante do jogo que promete ser muito difícil”, finalizou.

A Chapecoense, por outro lado, descansa nas próximas horas já que volta à Segundona somente na sexta-feira, diante do Náutico, no Recife (PE).

+

Chapecoense