Criciúma 73 anos! Confira alguns registros e jogadores que marcaram história no Tigre

Clube, que segue como uma das equipes mais tradicionais de Santa Catarina, completou 73 anos nesta quarta-feira (13). Confira alguns atletas que marcaram seu nome na história do Tigre e na memória do torcedor nestas mais de sete décadas

Há 73 anos atrás, nascia de um “berço plasmado em carvão, o Criciúma Esporte Clube, no Sul do Estado de Santa Catarina. Em forma de homenagem, o ND relembrou alguns jogadores que marcaram a história do Tigre. No entanto, claro que muitos ficaram de fora como, por exemplo, Roberto Cavalo, Jorge Veras e Paulinho Cricúma. Além disso, estarão peças importantes dos títulos da Copa do Brasil de 1991, do Campeonato Brasileiro Série B, em 2002, Série C, em 2006, e também dos 10 estaduais vencidos em sua história. - Divulgação/ND
1 9

Há 73 anos atrás, nascia de um “berço plasmado em carvão, o Criciúma Esporte Clube, no Sul do Estado de Santa Catarina. Em forma de homenagem, o ND relembrou alguns jogadores que marcaram a história do Tigre. No entanto, claro que muitos ficaram de fora como, por exemplo, Roberto Cavalo, Jorge Veras e Paulinho Cricúma. Além disso, estarão peças importantes dos títulos da Copa do Brasil de 1991, do Campeonato Brasileiro Série B, em 2002, Série C, em 2006, e também dos 10 estaduais vencidos em sua história. - Divulgação/ND

José Carlos dos Anjos Sávio, o Zé Carlos, foi revelado pelo Tigre em 2003. Conhecido por ser um especialista na bola parada, foi através dos seus pés que veio o gol do título do Campeonato Brasileiro da Série C de 2006, conquistado pelo Tigre. Ao longo dos seus 159 jogos, ele marcou três gols. No ano passado, Zé Carlos jogou pelo Brusque, onde conquistou o título da Série D. Além disso, passou por diversas equipes de Santa Catarina como, por exemplo, Avaí, Brusque, Concórida e Camboriú. - Reprodução/Ulisses Job/ND
2 9

José Carlos dos Anjos Sávio, o Zé Carlos, foi revelado pelo Tigre em 2003. Conhecido por ser um especialista na bola parada, foi através dos seus pés que veio o gol do título do Campeonato Brasileiro da Série C de 2006, conquistado pelo Tigre. Ao longo dos seus 159 jogos, ele marcou três gols. No ano passado, Zé Carlos jogou pelo Brusque, onde conquistou o título da Série D. Além disso, passou por diversas equipes de Santa Catarina como, por exemplo, Avaí, Brusque, Concórida e Camboriú. - Reprodução/Ulisses Job/ND

O zagueiro Wilson Vaterkemper, conhecido como Wilsão, jogou com a camisa do Tigre em mais de 400 partidas. Além disso, ele também conquistou seis títulos com a camisa tricolor – Estaduais de 1989, 90, 91, 93, 95, 98 e a Copa do Brasil de 1991. Após aposentadoria no Avaí, em 2002, Wilsão começou sua carreira como treinador, no momento, ele é auxiliar técnico do Tigre. - Divulgação/Criciúma/ND
3 9

O zagueiro Wilson Vaterkemper, conhecido como Wilsão, jogou com a camisa do Tigre em mais de 400 partidas. Além disso, ele também conquistou seis títulos com a camisa tricolor – Estaduais de 1989, 90, 91, 93, 95, 98 e a Copa do Brasil de 1991. Após aposentadoria no Avaí, em 2002, Wilsão começou sua carreira como treinador, no momento, ele é auxiliar técnico do Tigre. - Divulgação/Criciúma/ND

Revelado em 2001, Douglas é considerado por alguns como uma das crias mais habilidosas que já passou pelo estádio Heriberto Hulse. Antes de sair do clube, em 2006, ele levou o time aos títulos da Série B e C do campeonato Brasileiro e do estadual de 2005.
No entanto, o torcedor não guarda apenas boas recordações do meia. Na terceira fase da Copa do Brasil de 2015, Douglas fez gestos para a torcida do Tigre, após converter um pênalti e eliminar a equipe catarinense daquela competição, quando ainda defendia o Grêmio. Após uma passagem apagada pelo Avaí, o meia de 38 anos rumou para o Brasiliense. - Reprodução/ND
4 9

Revelado em 2001, Douglas é considerado por alguns como uma das crias mais habilidosas que já passou pelo estádio Heriberto Hulse. Antes de sair do clube, em 2006, ele levou o time aos títulos da Série B e C do campeonato Brasileiro e do estadual de 2005. No entanto, o torcedor não guarda apenas boas recordações do meia. Na terceira fase da Copa do Brasil de 2015, Douglas fez gestos para a torcida do Tigre, após converter um pênalti e eliminar a equipe catarinense daquela competição, quando ainda defendia o Grêmio. Após uma passagem apagada pelo Avaí, o meia de 38 anos rumou para o Brasiliense. - Reprodução/ND

O atacante Vanderlei Mior marcou o seu nome na história do Criciúma, sendo o maior goleador da equipe, com 81 gols ao longo dos oito anos que vestiu a camisa do tricolor – 1985 a 1992. Na ocasião, foi peça-chave do título da Copa do Brasil de 1991. Antes de deixar a equipe catarinense, rumo ao México, Vanderlei Mior também esteve no time campeão dos estaduais de 1986, 1989, 1990 e 1991. - Picasa/ND
5 9

O atacante Vanderlei Mior marcou o seu nome na história do Criciúma, sendo o maior goleador da equipe, com 81 gols ao longo dos oito anos que vestiu a camisa do tricolor – 1985 a 1992. Na ocasião, foi peça-chave do título da Copa do Brasil de 1991. Antes de deixar a equipe catarinense, rumo ao México, Vanderlei Mior também esteve no time campeão dos estaduais de 1986, 1989, 1990 e 1991. - Picasa/ND

Grizzo foi mais um que fez parte da histórica equipe campeã da Copa do Brasil de 1991. Além disso, o ex-camisa 10 também foi responsável pelo tricampeonato estadual de 1989 a 1991. Assim como também fez parte da equipe que foi até as quartas da Copa Libertadores de 1992. Engana-se quem acha que a história de Grizzo acabou quando ele pendurou as chuteiras, desde 2016, ele compõe a comissão técnica do Criciúma. - Reprodução/Blog do Gilberto Custódio/ND
6 9

Grizzo foi mais um que fez parte da histórica equipe campeã da Copa do Brasil de 1991. Além disso, o ex-camisa 10 também foi responsável pelo tricampeonato estadual de 1989 a 1991. Assim como também fez parte da equipe que foi até as quartas da Copa Libertadores de 1992. Engana-se quem acha que a história de Grizzo acabou quando ele pendurou as chuteiras, desde 2016, ele compõe a comissão técnica do Criciúma. - Reprodução/Blog do Gilberto Custódio/ND

Após uma brilhante passagem pela base do Tigre, Mahicon Librelato começou sua breve trajetória pelos profissionais em 2001. Na ocasião, ele marcou 19 gols e foi artilheiro do Campeonato Catarinense, daquele ano. Além disso, também livrou o Tigre do rebaixamento para a Série C. Destaque da equipe, ele acabou se transferindo para o Internacional, em 2002. Na sua última partida, ele marcou o gol que livrou o clube gaúcho de cair para a segundona nacional. Porém, Mahicon morreu no dia 28 de novembro de 2002, em uma acidente de carro. Como era um dia chuvoso, o veículo que ele guiava acabou derrapando, bateu em um poste de iluminação próximo à Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, e caiu no mar. No seu currículo, marcou 42 gols pelo Tigre, 10 pelo colorado e também foi campeão Gaúcho, em 2002. - Reprodução/Librelato/ND
7 9

Após uma brilhante passagem pela base do Tigre, Mahicon Librelato começou sua breve trajetória pelos profissionais em 2001. Na ocasião, ele marcou 19 gols e foi artilheiro do Campeonato Catarinense, daquele ano. Além disso, também livrou o Tigre do rebaixamento para a Série C. Destaque da equipe, ele acabou se transferindo para o Internacional, em 2002. Na sua última partida, ele marcou o gol que livrou o clube gaúcho de cair para a segundona nacional. Porém, Mahicon morreu no dia 28 de novembro de 2002, em uma acidente de carro. Como era um dia chuvoso, o veículo que ele guiava acabou derrapando, bateu em um poste de iluminação próximo à Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, e caiu no mar. No seu currículo, marcou 42 gols pelo Tigre, 10 pelo colorado e também foi campeão Gaúcho, em 2002. - Reprodução/Librelato/ND

Já aposentado, Paulo Baier não só marcou seu nome com a camisa do Tigre, mas também é um grande nome no cenário do futebol nacional, tanto pela facilidade na bola parada como pelo tempo de carreira. Além disso, foi no Criciúma que Paulo César Baier adotou somente “Paulo Baier”. No seu primeiro ano, em 1998, o atleta conquistou o Campeonato Catarinense. Pela segunda passagem, também conquistou o título da Série B de 2002. Cerca de 12 anos depois, agora como meio-campo, Paulo Baier retornou para o Heriberto Hulse. No entanto, ele encerrou sua carreira apenas em 2016, já com 42 anos. - Fernando Ribeiro/Divulgação/ND
8 9

Já aposentado, Paulo Baier não só marcou seu nome com a camisa do Tigre, mas também é um grande nome no cenário do futebol nacional, tanto pela facilidade na bola parada como pelo tempo de carreira. Além disso, foi no Criciúma que Paulo César Baier adotou somente “Paulo Baier”. No seu primeiro ano, em 1998, o atleta conquistou o Campeonato Catarinense. Pela segunda passagem, também conquistou o título da Série B de 2002. Cerca de 12 anos depois, agora como meio-campo, Paulo Baier retornou para o Heriberto Hulse. No entanto, ele encerrou sua carreira apenas em 2016, já com 42 anos. - Fernando Ribeiro/Divulgação/ND

A escolha de Zé Carlos faz parte da memória recente do torcedor do Tigre, algumas boas, outras, nem tanto. No total, marcou 67 gols em suas três passagens pelo time Carvoeiro. A melhor temporada do atacante com a camisa do Tigre foi em 2012, onde era o destaque da equipe. No entanto, em 2014, voltou a vestir a camisa tricolor e não teve um bom aproveitamento, onde entrou em apenas nove oportunidades. Sua última passagem pelo Tigre foi em 2018, onde disputou 29 jogos e marcou 10 gols. Nesta temporada, ele defende o São Bernardo (SP) - Divulgação/ Criciúma/ND
9 9

A escolha de Zé Carlos faz parte da memória recente do torcedor do Tigre, algumas boas, outras, nem tanto. No total, marcou 67 gols em suas três passagens pelo time Carvoeiro. A melhor temporada do atacante com a camisa do Tigre foi em 2012, onde era o destaque da equipe. No entanto, em 2014, voltou a vestir a camisa tricolor e não teve um bom aproveitamento, onde entrou em apenas nove oportunidades. Sua última passagem pelo Tigre foi em 2018, onde disputou 29 jogos e marcou 10 gols. Nesta temporada, ele defende o São Bernardo (SP) - Divulgação/ Criciúma/ND

+

Futebol Catarinense