Escudo: Criciúma
CRI Criciúma
Escudo: Chapecoense
CHA Chapecoense
Heriberto Hülse - 05/08/2020 às 21h30

Chapecoense passa pelo Criciúma nos pênaltis e vai à 5ª final seguida

Verdão do Oeste até perdeu no tempo normal por 1 a 0; apesar de um jogo ruim, time segurou até as cobranças das penalidades onde superou o Tigre por 4 a 2; time encara o Brusque

A Chapecoense vai à sua 5ª final de Catarinense de maneira seguida para encarar o Brusque. Apesar da derrota no tempo normal, o representante do Oeste catarinense venceu o Criciúma nos pênaltis, por 4 a 2, no estádio Heriberto Hülse, na noite desta quarta-feira (5).

As datas das finais, no entanto, ainda não foram definidas pela FCF (Federação Catarinense de Futebol).

Chapecoense joga em Criciúma; classificação veio nos pênaltis – Foto: Márcio Cunha/ACF/Divulgação/ND

O confronto

Criciúma e Chapecoense representavam o “peso” da tradição nas semifinais do Catarinense. Enquanto um soma 10 títulos estaduais, no caso do Tigre, a Chape entrou em campo almejando ir a sua 5ª final consecutiva.

Ambos, ainda em período de concentração, acompanharam o empate entre Brusque e Juventus que levou o quadricolor a condição de finalista da competição.

Com a bola rolando a vantagem assegurada pela Chape, ainda na primeira partida, foi imediatamente pulverizada. Jogada ensaiada do Criciúma que, com 4’ minutos, chegou ao seu gol nos pés de Foguinho.

Após escanteio curto, a bola foi alçada na segunda trave onde o volante e capitão carvoeiro, sozinho, mandou para o fundo da rede de João Ricardo.

O que se desenhou como um anúncio de um jogo franco – e condizente com o tamanho das duas camisas – rapidamente se transformou em um duelo sonolento e de erros em série.

Em dados momentos, devido a lentidão da partida, dava facilmente para confundir com um duelo amistoso ou, pelo menos, sem o caráter eliminatório às vésperas de uma final.

Segundo tempo

A segunda etapa manteve o ritmo da partida. Falta de criatividade, excesso de erros, bola parada. O caminho natural, dessa forma, foi o resultado de igualdade.

Os técnicos até tentaram realizar as trocas, mas não obtiveram sucesso.

Pênaltis

O Criciúma até saiu na frente depois que Agenor – o goleiro – marcou e o lateral Ezequiel mandou pra fora. Foguinho e Jean perderam e a Chape, com Derlan, Paulinho, Luiz Otávio e Anselmo Ramon virou o placar e chegou à grande final do estadual pela 5ª vez consecutiva.

Ficha técnica

Criciúma: Agenor; Victor Guilherme, Vitão, Maurício Barbosa e Kaíke; Eduardo, Foguinho, Léo Ceará e Jajá (João); Jean Dias e Thiago Henrique. Técnico: Roberto Cavalo.

Chapecoense: João Ricardo; Ezequiel, Joílson, Luiz Otávio e Derlan; Guedes (Ronei), Anderson Leite (Lima), Denner (Alan Grafite) e Matheus Ribeiro (Foguinho); Paulinho e Aylon (Anselmo Ramon). Técnico: Umberto Louzer.

Cartões amarelos: Ezequiel (CHA)

Gols: Foguinho (4/1T)

Local: estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC). Data: 05/08/20.

Arbitragem: Rafael Traci; auxiliado por Kléber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro.

Lances da partida

+

Criciúma EC