Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


A coletiva no Figueirense: Jorginho fica no Scarpelli e as dificuldades da reformulação

Diretoria do Figueirense concedeu uma entrevista coletiva nesta tarde de terça(26). A grande novidade foi o anúncio da renovação do contrato com o Jorginho.

Diretoria garante uma reformulação no clube alvinegro. – Foto: John Léo/Figueirense/NDDiretoria garante uma reformulação no clube alvinegro. – Foto: John Léo/Figueirense/ND

De forma surpreendente, a diretoria do Figueirense concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta terça(26). Surpreendente, porque ocorreu antes mesmo da definição do rebaixamento ou não. A torcida esperava uma satisfação dos gestores alvinegros após a definição do rebaixamento, ou não, nesta quinta após o jogo do jogo do Vitória, ou no sábado após o término da Série B.

Sobre o que foi falado, basicamente nenhuma novidade ou decisão concreta: dificuldades, evasão de sócios, etc.  A exceção foi o anúncio da renovação de contrato com o treinador Jorginho para esta temporada. O que o presidente Norton Boppré, Tadeu Cruz, Paulo Prisco Paraíso e Leonardo Coelho da empresa Alvarez & Marsal, contratada para ajudar na reestruturação, basicamente falaram foi sobre as dificuldades financeiras, as dificuldades da reconstrução “atrapalhada pela crise da pandemia” e lamentações pela perda de grande “fatia de torcedores”.

O presidente Boppré garante que o clube passará por “reestruturação e adequação forte administrativa e financeira”. “E que essas ações reduziram 25% os custos”, complementou as suas palavras evocando a parceria com o torcedor alvinegro. O ex-presidente Paulo Prisco Paraíso, enalteceu a força do Figueirense, “o maior time do estado”, disse que os responsáveis “precisam pagar pelos erros” e de forma realista finalizou: “Não existe parceiro comercial neste momento, contamos com o torcedor”.

Na sequência, respondendo as perguntas da imprensa, o presidente Norton Boppré elogiou o diretor de futebol, Luciano Sorriso, porém, alertou “não garantimos o lugar de ninguém, o momento é de reformulação”.  Sobre José Carlos Lages, novamente o presidente saiu em defesa do parceiro que “ajuda a pagar a folha de pagamento”.

Sobre a dívida do clube, o valor dito foi de R$ 165 milhões.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.