Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


A previsibilidade do treinador Jorginho na reta final da Série B. Que sirva de alerta

Após os times adversários terem conhecido a forma do Figueirense atuar, a equipe sofreu na reta final da série B culminando com o rebaixamento para a série C. Que sirva de alerta na montagem do elenco

A PREVISIBILIDADE DO JORGINHO

Jorginho ainda não jogou a toalha – Foto: Patrick Floriani/FFCJorginho ainda não jogou a toalha – Foto: Patrick Floriani/FFC

O Figueirense renovou o seu contrato com o treinador Jorginho. Eu também renovaria, escrevi isso aqui na coluna na semana passada. Era também o sentimento geral da torcida alvinegra. Mas é preciso dizer que o treinador pecou na reta final por ter deixado a sua equipe previsível para os adversários. Explico: há duas semanas, em conversa com o conselheiro e publicitário Roberto Costa sobre o futebol em geral, falei sobre a minha preocupação com a equipe nos últimos jogos da Série B. A forma do Figueirense jogar com os atacantes Bruno Michel e Diego Gonçalves como escape pelas pontas tinha vencido o seu prazo, já que os adversários passaram a conhecer essa forma do alvinegro atuar.

Quando o Jorginho assumiu a equipe do Orlando Scarpelli, essas puxadas de contra-ataques deram certo. Foi assim que o Figueirense esboçou a sua reação na competição, renovando as esperanças de permanência. Só que num momento, os atacantes Bruno Michel e o Diego Gonçalves passaram a receber “dobras” de marcação das defesas adversárias. O resultado foi que o treinador não conseguiu sair dessa teia criada por ele próprio. E justamente na reta final, nos três jogos finais que decidiriam (e decidiu) o rebaixamento para a série C.

Que fique a lição para o próprio Jorginho neste reinício de trabalho. No elenco é preciso, além de qualidades, opções para surpreender os adversários com variações táticas. Uma nota só no futebol, desafina