Advogado defende punição ao árbitro de Avaí 1 a 0 Figueirense

Advogado especialista em direito desportivo, Filipe Rino, entende que, após divulgadas imagens da confusão com leitura labial, súmula resta descontruída: "não é a atitude de um árbitro"

É uma reviravolta no caso envolvendo o zagueiro Alemão, do Figueirense. Depois de ser denunciado em, pelo menos, quatro artigos do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) no episódio envolvendo a expulsão diante do Avaí, em 29 de setembro de 2020, um vídeo apresentado pela defesa do Furacão deu luz à postura do árbitro Rafael Traci que, em dado momento, xinga o zagueiro e o chama para brigar.

Alemão x Rafael Traci, no clásssico entre Avaí 1 a 0 Figueirense, em 29 de setembro de 2020; reviravolta no caso Foto: Roberto Zacarias/Mafalda Press/Estadão Conteúdo

É quase uma ressurreição. Ainda na terça-feira (29), a reportagem do nd+ trouxe detalhes da súmula e da forte tendência para um gancho pesado sobre o experiente zagueiro alvinegro.

O julgamento no pleno da 3ª Comissão Disciplinar do STJD (Superior Tribuna de Justiça Desportiva) sequer foi concluído já que um problema de conexão com a internet interrompeu e inviabilizou a conclusão dos trabalhos.

Foi o suficiente, no entanto, para que a defesa do Figueirense expusesse um material com a leitura labial do desentendimento envolvendo, sobretudo, o árbitro paranaense Rafael Traci e o zagueiro Alemão.

No material ficou constatada a discussão e troca de ofensas entre ambos, onde o árbitro “chama” Alemão para a briga. Traci ainda profere xingamentos como “filho da p…”.

A reportagem entrou em contato com o profissional mas, até o fechamento da matéria, não havia conseguido o retorno das ligações e dos e-mails.

Advogado defende punição e afastamento do árbitro

Enquanto o desfecho do julgamento não acontece, uma vez que está marcado para a próxima quarta-feira (4), o árbitro, que carrega o escudo da FIFA, está liberado para atuar, assim como o zagueiro Alemão.

O Figueirense entra em campo na próxima segunda-feira (2), às 17h30, diante da Ponte Preta, em Campinas (SP).

Para o advogado Filipe Rino, especialista em direito desportivo, a leitura labial “desconstrói o relatório da súmula”. Rino crê em pena mínima para o zagueiro e ainda “defende” punição e afastamento ao árbitro.

Marquinho (10) e Alemão durante o treinamento; zagueiro, enquanto aguarda o desfecho do julgamento, segue como titular no time de Elano Blumer – Foto: Patrick Floriani/FFC

“O vídeo deixa claro que o Alemão não agiu, mas reagiu às provocações e xingamentos do árbitro. Também não vi nenhuma cabeçada no vídeo e nem os xingamentos do Alemão”, pondera Rino.

Ele ainda acrescenta que “não é a atitude que esperamos de um árbitro”.

“Acredito que o Alemão possa pegar a pena mínima, mas defendo que o árbitro seja punido e afastado”.

Ainda no material publicado na noite da última terça-feira, Rino falou sobre a gravidade da súmula, mas deixou bem claro que não havia visto imagem e tampouco mais detalhes do episódio.

Súmula pesada

O lance, que resultou no gol azurra, enfureceu atletas e comissão técnica do Figueirense. Um atleta, em especial, perdeu o controle. O zagueiro Alemão, um dos mais experientes do grupo e líderes do elenco, simplesmente “peitou” o árbitro, além de proferir uma série de xingamentos.

Zagueiro Alemão, em ataque de “fúria” diante do árbitro Rafael Traci; leitura labial mostrou que o árbitro também xingou o atleta e ainda o chamou para a briga – Foto: Roberto Zacarias/Mafalda Press/Estadão Conteúdo/ND

Em súmula, o paranaense Rafael Traci descreveu os movimentos de Alemão no qual relatou “uma peitada”, além de uma “cabeçada e peitando novamente”.

Traci contou ainda que, mesmo segurado por companheiros de equipe, Alemão teria proferido palavras como “seu filho da puta, safado, tira a camisa deles de baixo, vagabundo”.

Denúncia

A denúncia ofertada inclui Alemão em quatro artigos  do CBJD  (Código Brasileiro de Justiça Desportiva). O 243-F, por ofender alguém; o 254-A (duas vezes) por praticar agressão física durante uma partida; 258, por assumir conduta contrária à disciplina ou ética desportiva do CBJD e o 184 por praticar duas ou mais infrações.

Art. 243-F: ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto. Pena: multa, de R$ 100 a R$ 100 mil, e suspensão de uma a seis partidas.

Art. 254-A (duas vezes): por praticar agressão física durante o jogo. Pena: suspensão de quatro a doze partidas.

Art. 258: assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código. Pena: suspensão de uma a seis partidas.

Art. 184: quando o agente mediante pratica duas ou mais infrações, aplicam-se cumulativamente as penas.

+

Figueirense