Escudo: Cuiabá
CEC Cuiabá
Escudo: Figueirense
FIG Figueirense
Arena Pantanal - 08/09/2020 às 21h30

Figueirense arranca empate do Cuiabá e empurra o Cruzeiro para o Z4

Furacão aumentou seu jejum de vitórias e ainda segue sem marcar gols sob o comando de Elano, mas apresentou melhor futebol e só não foi premiado por um erro da arbitragem, que anulou um gol legítimo

O Figueirense retornou a Arena Pantanal e, agora sim em campo, arrancou um empate sem gols contra o Cuiabá, na noite desta terça-feira (8). Com o ponto conquistado o Furacão segue sem vencer sob o comando de Elano Blumer, mas conseguiu sair da incômoda 17ª posição.

O Furacão ainda saiu de campo lamentando um gol mal anulado pela arbitragem, aos 48′ da segunda etapa. Diego Gonçalves bateu, o goleiro deu rebote e Marquinho mandou para a rede. A assistente Fernanda Gomes Antunes (MG) assinalou impedimento, erroneamente, do camisa 10.

Com o empate o Figueirense subiu à 16ª posição com seis pontos ganhos. O Cuiabá foi a 15 e voltou ao G4 da Série B.

Cuiabá 0 a 0 Figueirense; empate injusto já que a bandeira assinalou impedimento equivocado no gol do Figueirense, aos 48′ do segundo tempo. – Foto: Chico Ferreira/Estadão Conteúdo

História do jogo

Nada é mais futebol que sua capacidade de contar histórias e picotear teses. Só nessa modalidade, por exemplo, é absolutamente plausível de um time que, um ano depois de se negar a entrar em campo, voltar ao palco do episódio e dar a volta por cima.

Não só na condição de apagar – ou, ao menos, amenizar – o que passou, mas a chance de o fazer na base da superação.

Como se não bastasse toda essa celeuma acerca do episódio mais triste da história do clube, o ambiente atual não é dos mais favoráveis. Além de montar um time animicamente esfacelado, o técnico Elano Blumer, juntamente da sua comissão técnica,  teve que trabalhar o lado psicológico dos atletas que, conforme repassado, ficou bem abalado com o episódio.

A primeira etapa

O Figueirense não levou muito em consideração as posições na tabela de classificação, antes da bola rolar. Com a marcação adiantada o time manteve seu problema em criar as jogadas, mas apresentou um volume de jogo melhor em relação ao seu adversário e a si mesmo.

Elano promoveu duas mudanças na equipe que ajudaram a melhorar o desempenho: Patrick como volante e Everton Galdino no ataque.

Eram 20 minutos jogados quando o Furacão já contabilizara seis tiros de canto contra apenas um do time da casa. Até a posse de bola, que começou superior para o Dourado, inverteu e ao fim dos primeiros 45 minutos, terminou com alvinegro.

Desperdício alvinegro

A outra metade da partida o técnico Elano promoveu o ingresso do colombiano Elacio na vaga de Lucas Carvalho.

Marquinho, em cobrança de escanteio, na Arena Pantanal – Foto: Andrey Oliveira/FFC

A melhor chance da partida, até então, saiu pelo flanco direito: Everton Galdino foi lançado, cortou a marcação e cruzou na segunda trave para Marquinho, de cabeça, mandar por cima da meta que estava vazia.

Tirando proveito da postura do Cuiabá que “se obrigou” a sair para o jogo, o Figueirense foi competente em armar seus contra-ataques, no entanto, pecou no desperdício. Em mais de uma oportunidade o time de Elano chegou com superioridade numérica na hora da finalização e, por decisões erradas, acabou desperdiçando, pelo menos, três grandes chances.

O time da casa, apesar da melhora na posse de bola e no volume de jogo, não levou maiores perigos a meta de Rodolfo Castro. Jean Patrick, em cobrança de falta aos 38’, levou o maior perigo.

Gol mal anulado

Aos 48′ o atacante Diego Gonçalves mandou uma pedrada, o goleiro deu rebote e Marquinho completou para a rede. O assistente, no entanto, viu posição irregular do camisa 10 que, conforme o replay mostrou, estava atrás do defensor.

Protesto dos jogadores do Figueirense antes do final da partida. Elyeser, por reclamar incisivamente, foi expulso. Os atletas, assim como Elano, foram conversar com a arbitragem no apito final, mas em vão.

Próxima parada

O Figueirense, depois de tanto conclamar na voz do seu técnico, Elano Blumer, terá dez dias para trabalhar até a próxima parada: será contra o América-MG, no estádio Independência, às 11h do dia 19 de setembro.

Já o Cuiabá, em duelo atrasado da 3ª rodada, frente ao CSA, entre em campo no dia 16, em Alagoas.

FICHA TÉCNICA

Cuiabá: Matheus Nogueira; Hayner, Ednei, Anderson Conceição e Romário (Lucas Ramon); Léo (Ferrugem), Matheus Barbosa e Élvis (Jean Patrick); Felipe Ferreira (Yago), Maxwell (Fabricio Daniel) e Jenison. Técnico: Marcelo Chamusca.

Figueirense: Rodolfo Castro; Lucas Carvalho (Elacio), Alemão, Pereira e Sanchez; Matheus Neris (Elyeser), Patrick (Paulo Ricardo) e Marquinho; Everton Galdino (Gabriel Lima), Gabriel Barbosa (Vitor Feijão) e Diego Gonçalves. Técnico: Elano Blumer.

Cartões amarelos: Ednei, Élvis (CUI); Elacio, Pereira, Marquinho e Diego Gonçalves (FIG).

Cartão vermelho: Elyeser (FIG)

Arbitragem: Wanderson Alves Sousa (MG); auxiliado por Fernanda Nândrea Gomes Antunes (MG) e Luiz Antônio Barbosa (MG).

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT). Data: 08/09/20.

Lances da partida

+

Figueirense