Com ajuda da arbitragem, Figueirense vence Brusque por 2 a 1 no Scarpelli

Bruno Dybal cavou pênalti que deu vitória ao alvinegro na estreia no Catarinense 2016

Figueirense e Brusque fizeram um jogo equilibrado no Orlando Scarpelli neste domingo (31). A vitória alvinegra teve influência da arbitragem, que marcou pênalti inexistente em Bruno Dybal no segundo tempo. Clayton, artilheiro da noite, fez os dois gols do Figueira. O time comandado por Hudson Coutinho jogou sem Jocinei e Carlos Alberto, ambos contundidos, e sofreu uma baixa de última hora. Dudu sentiu dores musculares.

Sem o volante França, suspenso por quatro partidas por conta da briga com o assessor da FCF (Federação Catarinense de Futebol), Delfinzinho, que é filho do presidente Delfim Pádua Peixoto Filho, Coutinho montou a equipe com três atacantes e promoveu a reestreia de Everton Santos. O Figueira volta a campo na quarta-feira, contra o Joinville, na Arena. 

Flavio Tin/ND

Everton Santos reestreou pelo Figueirense contra o Brusque

O gramado molhado prejudicou a troca de passes principalmente na etapa inicial. O Brusque surpreendeu se lançando ao ataque, em vez de jogar recuado esperando o momento certo de chegar na área do adversário. A estratégia do Bruscão sofreu o primeiro golpe aos 14 minutos, quando Clayton foi derrubado por Maurício, após o atacante passar por Alemão na linha de fundo.

Na cobrança, bola para um lado, e o goleiro para o outro. O Figueirense perdeu o único armador que tinha em campo. O meia Yago teve um mal-estar e foi substituído por Bruno Dybal. A pressão do time do Vale deu certo e Giancarlo empatou aos 46. Campeão pelo Criciúma em 2013, o matador recebeu dentro da área e completou de carrinho. 

O Alvinegro voltou para o segundo tempo com Guilherme Queiroz na vaga de Elias, que não foi bem. O artilheiro da Série C do ano passado, pela Portuguesa, teve uma boa chance de marcar, mas parou em Wanderson. Leandro Silva cruzou da direita e o atacante bateu de primeira, com força, em cima do goleiro do Brusque. Antes, um lance bastante questionável.

Bruno Dybal, que entrou mal em campo, tropeçou nos próprios pés e o árbitro Evandro Tiago Bender aceitou. Clayton bateu bem de novo e anotou o gol da vitória do Furacão. O técnico Mauro Ovelha foi expulso e saiu do gramado aplaudindo em sinal de protesto. A partir daí, Júnior Oliveira se destacou. Foram duas defesas em lances capitais da partida. 


FIGUEIRENSE (2)
Júnior Oliveira; Leandro Silva, Marquinhos, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Dener, Jackson Caucaia e Yago (Bruno Dybal); Clayton, Everton Santos e Elias (Guilherme Queiroz). Técnico: Hudson Coutinho. 

BRUSQUE (1)
Wanderson; Alemão, Maurício, Clayton e Aelson; Carlos Alberto (Paulinho), Everton Cezar, Eliomar (Potita) e Assis; Eydison (Alexandre Pedalada) e Giancarlo. Técnico: Mauro Ovelha.

Gols: Clayton (pênalti), aos 14, e Giancarlo, aos 46 do primeiro tempo; Clayton (pênalti), aos sete do segundo tempo. Cartões amarelos: Marquinhos e Leandro Silva (F); Carlos Alberto (B). Arbitragem: Evandro Tiago Bender, auxiliado por Eder Alexandre e José Roberto Larroyd. Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Público: 3.629 pagantes. Renda: R$ 49.116.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Figueirense

Loading...