Com direito a duplo apagão no Scarpelli, Figueirense bate o Concórdia: 3 a 0

Com uma atuação de imposição física e técnica dentro de casa, o Figueirense não teve dificuldade para vencer o Concórdia; dois apagões arrastaram o término do jogo, em Florianópolis

O Figueirense deixou a má impressão registrada na estreia do Catarinense para trás e, com uma postura de muita imposição, venceu o Concórdia por 3 a 0, sem maiores dificuldades.

Fabricio Bigode, volante que cobrou o escanteio que originou o segundo gol do Figueirense sobre o Concórdia; vitória sem dificuldade no estádio Orlando Scarpelli – Foto: Cristiano Andujar/Ishoot/Estadão Conteúdo/NDFabricio Bigode, volante que cobrou o escanteio que originou o segundo gol do Figueirense sobre o Concórdia; vitória sem dificuldade no estádio Orlando Scarpelli – Foto: Cristiano Andujar/Ishoot/Estadão Conteúdo/ND

O duelo foi realizado no início da noite deste domingo (28), no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. O Figueirense, também “beneficiado” pelo adiamento de dois jogos na rodada, assumiu a liderança da competição com quatro pontos.

O Concórdia, por outro lado, chegou a sua segunda derrota na competição e assumiu a lanterna de maneira isolada.

Figueirense merecedor da vitória

Os primeiros 45 minutos foram de imposição do Figueirense dentro do seu campo. Um pouco pela postura adotada, diferente e mais pró-ativa que a que fora visto diante do Metropolitano, na estreia, mas também influenciada pelo adversário que optou por sair para o jogo e não se portar de maneira mais recuada.

O placar da primeira etapa, inclusive, ficou barato para o Galo do Oeste: 1 a 0. Breno, aos 35’, marcou para o alvinegro que, no mesmo lance, precisou de três finalizações para chegar as redes do adversário.

O detalhe é que, antes disso, o alvinegro contabilizou, pelo menos, três gols desperdiçados. A sensação, ao descer para o intervalo, ficou de um resultado brando para o Concórdia.

Segunda etapa com apagão duplo

O ímpeto adotado na segunda etapa até não foi mantido, mas um gol logo no início acabou se transformando em “bônus” pelo trabalho realizado nos primeiros 45 minutos.

Cobrança de escanteio do lado esquerdo, aos 5’, com Fabricio Bigode: ele mandou a bola dentro da pequena área e, Emerson Martins, volante do Concórdia, tentou afastar mas mandou para dentro do gol defendido por Arthur.

O árbitro da partida, Braulio da Silva Machado, no entanto, deu o gol para o jogador do Figueirense que cobrou o tiro de canto.

O Figueirense manteve a sede por mais gols, mas um “apagão” no estádio Orlando Scarpelli freou a postura do alvinegro e despencou a temperatura do jogo.

Foram, pelo menos, 17 minutos de interrupção depois de um problema com um gerador que estava operando o sistema de iluminação do estádio. O gerador foi trocado e a bola voltou a rolar.

Na “volta” da partida, o Figueirense, mesmo frio, aumentou o placar: cobrança de escanteio de Marllon onde Alê Santos, mais alto que todo mundo, subiu e testou para a rede do Concórdia dando números finais a partida.

Segundo apagão

O cronômetro, já alterado pela primeira paralisação, marcava 52′ quando as mesmas torres apagaram e interromperam a partida.

A título de curiosidade, devido aos dois apagões, o tempo de recuperação, mais acréscimo, empurrou o cronômetro para incríveis 77 minutos de “bola rolando” na etapa final.

Próxima parada

O Figueirense se concentra para o clássico contra o Avaí, na quarta-feira (3), a partir das 20h30, no estádio da Ressacada.

Já o Concórdia, ainda sem vencer no campeonato, recebe o Brusque no extremo Oeste de Santa Catarina.

Ficha técnica

Figueirense: Vitor Caetano; Crystian (Thiago Tomais), Felipe Gregório, Paulo Ricardo e Carlinhos; Fabricio (Jefferson), Khevin (Alê Santos) e Marllon; Breno (Denner), Pedro Maranhão (Blaise) e Marcello Júnior. Técnico: Jorginho.

Concórdia: Arthur; Alison, Lucas Silva, Gabriel Pires e Paulo Henrique; Kauê (Bryan), Emerson Martins, Alan Grafite (Vinicius Baiano), Vinícius e Warley (Ian Mineiro); Michel (Rodrigo Milanez). Técnico: Emerson Cris.

Gols: Breno (35/1T), Fabrício (5/2T), Alê Santos (42/2T)

Cartões amarelos: Khevin, Alê Santos, Jefferson (FIG); Kauê, Emerson Martins, Warley (COM)

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado; auxiliado por Helton Nunes e Alexandre Daraio

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC). Data: 28/02/21.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Figueirense