Figueirense tem contas bloqueadas por dívida com Palmeiras por volante França

Processo foi aberto pelo clube paulista ainda em 2018; jogador defendeu o Figueirense entre 2014 e 2016

Uma dívida acumulada pelo Figueirense com o Palmeiras relacionada a negociação envolvendo o empréstimo do volante França, resultou no bloqueio de contas, no mês de maio, da equipe catarinense. As informações foram divulgadas pelo jornalista Diego Garcia do portal ‘UOL’.

França teve passagem polêmica pelo Figueirense – Foto: Luiz Henrique/FFC/ArquivoFrança teve passagem polêmica pelo Figueirense – Foto: Luiz Henrique/FFC/Arquivo

A ação judicial foi iniciada ainda em 2018, sendo referente a uma cobrança pelo empréstimo do jogador quatro anos antes. No acordo de empréstimo, o Furacão teria que arcar com sete parcelas mensais de R$ 40 mil para o auxílio do pagamento dos salários. No entanto, nenhuma delas teria sido quitada.

O clube paulista cobra o valor de R$ 1 milhão. No entanto, após pedido do juiz Valdir da Silva Queiroz Junior para bloquear o valor pedido pelo Palmeiras nos ativos financeiros do Alvinegro, a Justiça não encontrou o valor nas contas bancárias da equipe de Florianópolis.

Em resposta, o Figueirense afirmou que teve reconhecido como legítimo um pedido de recuperação extrajudicial, determinando a suspensão de quaisquer créditos trabalhistas ou atos expropriatórios sobre seus ativos. O tribunal de São Paulo ainda não respondeu à petição.

“Os fatos são procedentes. O Palmeiras é um dos credores no processo de recuperação extrajudicial do Figueirense”, confirmou o Furacão à reportagem do ND+.

Entenda a situação

O clube paulista alega que tinha um acordo de 2014 com o Figueirense para o pagamento mensal de R$ 40 mil, por sete meses, para auxiliar no pagamento dos salários de França. Porém, o Furacão não teria pago nenhuma parcela.

Em sua defesa, o Alvinegro alegou que a cobrança já teria prescrito, pois já teriam se passado três anos da data em que surgiu o direito à pretensão do Palmeiras.

Além disso, a equipe catarinense alega que o valor é “excessivo”, uma vez que é quase o dobro do original, pelos juros e correção. No entendimento do Figueirense, a dívida estaria, na época do processo, em R$ 395 mil – o valor original da ação era de R$ 540 mil. O juiz, no entanto, rejeitou os embargos propostos pelo Furacão.

Em março de 2021, o Palmeiras pediu novamente a penhora das contas do Figueirense, agora no valor atualizado de R$ 1 milhão, com mais juros e correção. E solicitou intimação da TV Globo (direitos de TV), CBF e patrocinadores para que informem se possuem valores a pagar ao Figueirense.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Figueirense