Jorginho admite mau jogo, lembra “cobertor curto”, mas mantém confiança no Figueirense

Técnico do Figueirense, em análise após o empate com o Botafogo, admitiu jogo ruim mas que vê "nos olhos" dos atletas a esperança de sair do buraco

“Não foi um bom jogo”, reconheceu Jorginho, em entrevista coletiva concedida após a partida entre Figueirense x Botafogo, que terminou empatada sem gols. O jogo, o terceiro do técnico – dois empates e uma derrota – foi mais um do Furacão sem vitória na competição.

Figueirense x Botafogo, pela Série B do brasileiro. Jogo ruim e sem gols. – Foto: Patrick Floriani/FFC/divulgaçãoFigueirense x Botafogo, pela Série B do brasileiro. Jogo ruim e sem gols. – Foto: Patrick Floriani/FFC/divulgação

O tempo está passando, o barco está afundando ou a hora tá chegando. Escolha você, nobre torcedor, a expressão que melhor se adapta ao Figueirense 2020 que, nesta Série B, chegou ao seu sétimo jogo sem vitória.

O Furacão, com um jogo a mais que seus concorrentes, chegou a 21 pontos e se manteve na 18ª posição. Nesse momento o alvinegro tem cinco pontos menos que o primeiro time fora do Z4, o Vitória, que entra em campo no sábado, diante do CRB.

Questionado sobre sua confiança na permanência do Figueirense na Série B, Jorginho afirmou que, enquanto houver chance matemática, promete confiar.

“Eu vejo nos olhos dos meninos, no vestiário, que isso me faz acreditar que a gente possa sair disso. Os times vão tropeçar e eu tenho certeza que nós vamos vencer em breve”, prometeu o comandante.

Cobertor curto

Jorginho reconheceu a má jornada em que o time esteve, sobretudo, nessa noite de quinta-feira (26). Ele lembrou, no entanto, que o time tentou e que, apesar de ter sido “só” duas chances, foram as melhores e foram criadas pelo Figueirense.

Sobre as opções usadas, Jorginho lembrou que o “cobertor é curto” e que o elenco alvinegro, nesse momento, ainda precisa lidar com os problemas médicos.

Atualmente o Figueirense soma 12 jogadores no departamento médico. Geovane Itinga, apresentado nessa semana, contraiu a Covid-19 e, segundo Jorginho, restou muito debilitado e, dessa forma, pediu “paciência” para a utilização dos atletas.

Além dos problemas médicos, o Figueirense tem dois problemas de suspensão: Alemão, de fora pela expulsão no clássico contra o Avaí, segue de fora.

Patrick, ao tomar o terceiro amarelo, não viaja para o Sergipe e é mais um problema para o técnico.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Figueirense