Jorginho vê jogo ruim do Figueirense, mas garante: “vamos sair dessa”

Técnico do Figueirense falou após a derrota para a Chapecoense pelo placar de 2 a 1; com o revés o alvinegro viu suas chances de permanecer na Série B diminuírem

Com um aspecto abatido o técnico Jorginho concedeu entrevista coletiva após a derrota para a Chapecoense por 2 a 1, resultado que afundou o Furacão na 18ª colocação com 36 pontos. Jorginho, no entanto, garantiu que “com dificuldade”, o Figueirense pode sair dessa situação.

Figueirense, de Dudu, foi derrotado por placar de 2 a 1 e, com o resultado, viu a chance de permanência na Série B reduzirem ainda mais – Foto: Patrick Floriani/FFC/Divulgação/NDFigueirense, de Dudu, foi derrotado por placar de 2 a 1 e, com o resultado, viu a chance de permanência na Série B reduzirem ainda mais – Foto: Patrick Floriani/FFC/Divulgação/ND

O resultado não veio. De novo. Restando quatro partidas pela frente o Figueirense precisa, a partir de agora, vencer três jogos para tentar a permanência na Série B.

O time “seca” o Vitória, nesta quarta-feira (13), diante do rival Avaí para que o rubro-negro baiano não avance na tabela de classificação.

“Desde o início nós sabíamos que seria muito difícil. Está sendo. Mas, mesmo com essa dificuldade, nós vamos sair dessa”, prometeu o comandante que, por vezes, se mostrou irritado na entrevista coletiva.

Opção por Geovane Itinga

Mesmo com o retorno de Alecsandro, que voltou de suspensão cumprida no empate com o CSA, o técnico do Figueirense optou pelo centroavante Itinga.

Coincidência, ou não, o Figueirense perdeu dois claros nos primeiros cinco minutos de jogo. Os tentos, como mostrara o placar mais tarde, custaram caro já que o Furacão foi derrotado por 2 a 1.

Um dos lances foi desperdiçado por Geovane Itinga, após passe de Bruno Michel.

“Só quem está lá, erra. Eu não erro porque eu não tenho nem mais idade para isso”, comentou o técnico.

Sobre a escolha Jorginho falou que a opção por Itinga estava na “velocidade” que poderia ser empregada ao longo da partida. Ele explicou que Alecsandro tem um jeito “mais cadenciado” e que a estratégia pensada para essa partida não favorecia o experiente camisa 9.

Críticas à defesa

O técnico, apesar de ter visto bons momentos da equipe, criticou o desempenho coletivo e, sobretudo, da defesa. Para o treinador, além dos zagueiros, os dois laterais não tiveram uma boa jornada.

“Alguns jogadores estiveram muito abaixo, não estavam em seu normal, não podemos tomar os gols que tomamos”, entendeu o comandante.

Próxima parada

Sem muito tempo para lamentar o Figueirense joga nesta sexta-feira, às 17h30, contra o Brasil-RS, em Florianópolis.

Não há outra escolha a não ser a vitória sobre o Xavante.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Figueirense