Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


O Figueirense apresentou pequenas melhoras diante do Brusque. Menos na sua defesa.

No empate diante do Brusque, a vitória do Figueirense não veio porque novamente a defesa voltou a apresentar erros de posicionamento e de marcação.

O Figueirense poderia ter saído de Brusque neste domingo (04) com a vitória, mas o miolo de zaga do alvinegro contribuiu com duas falhas nos gols do time da casa anotado pelo “redondinho” Pirambu. Após um primeiro tempo com boa marcação que obrigou o time quadricolor a buscar espaços, o alvinegro começou a segunda etapa melhor, de forma mais incisiva e abriu o placar com uma cabeçada do meia Khevin. Porém, dois minutos depois a já citada colaborou com a sua primeira falha de marcação. Os defensores Paulo Ricardo e Felipe Gregório viraram as costas para o chute cruzado para a área. Como a bola caiu no pé de um atacante, o tempo de reação ficou curto e só tiveram tempo de buscar a bola no fundo da rede no empate do time da casa.

Khevin abriu o placar diante do Brusque, mas a defesa voltou a errar. – Foto: Patrick Floriani/FigueirenseKhevin abriu o placar diante do Brusque, mas a defesa voltou a errar. – Foto: Patrick Floriani/Figueirense

Logo depois, a dupla de zagueiros voltou a falhar, e novamente ele, Pirambu, sem nem nenhuma marcação cabeceou para o fundo da rede. Se o Figueirense não foi brilhante, não merecia sair de campo com a derrota e o gol de empate, anotado pelo Breno, deixou o resultado mais justo. O Figueirense continua complicado na tabela de classificação, mas a impressão é de uma leve melhora no futebol. Menos a defesa, é claro.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.