Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


OUTRO LADO: torcedor do Figueirense questiona parceria e o verdadeiro objetivo do contrato

No início da semana, publiquei a opinião de um conselheiro favorável a parceria. Para avaliação e transparência publico o "outro lado".

No início dessa semana, publiquei na coluna que assino no Jornal Notícias do Dia e na coluna digital do ndonline, a versão de um conselheiro do Figueirense favorável a assinatura do contrato com o grupo de investidores que querem atuar no time do estádio Orlando Scarpelli. Para quem não leu, está à disposição   AQUI.

Como não se pratica jornalismo sem ouvir o “outro lado” hoje publico as argumentações e questionamentos de outra pessoa ligada ao Figueirense “há  dezessete anos”. Assim como na versão favorável do conselheiro, aqui a fonte também está preservada. Confira a sua versão e as exposições para “questionar o que está acontecendo com clube”.

Bom dia! Estou pasmo com tudo o que está cercando o “grupo”. Questionei vários torcedores, conselheiros e membros da diretoria coisas simples, como: PJ do “grupo”; Sede; CNPJ, Patrimônio e representante dos investidores. Enfim, nada disso “existe”. Fui levantar o CEO. Quantidade de empresas pertencentes a Alexandre Bourgeois: cinco. Alexandre é sócio de cinco empresas no estado de São Paulo.

Capital social dessas empresas: R$ 91.000, 00.

Propriedade da primeira sociedade de Alexandre Bourgeois foi firmada em 29/09/1999.

Sócios de Alexandre: Marcelo de Alencar Paula Leite, Charles François de Fraipont, Rajiv Sainami, Jiri Trnk, Cássio Lopes da Silva Neto, Felipe de Souza Nogueira, Antonio Sérgio Bartilotti, André Bourgeois, Marcelo Adriano de Paulos, Brasil Sports Group Participações Ltda.

Imagem 1 - divulgação
Imagem 1 – divulgação

imagem 2 - divulgação
imagem 2 – divulgação

imagem 5 - divulgação
imagem 5 – divulgação

A que me chamou atenção foi esta!  

Embora todas as outras pudessem estar no “grupo”, pois interligam entre si.

Imagem 3 - divulgação
Imagem 3 – divulgação

A pergunta que faço é? O que interessa no Figueirense Futebol Clube?

Respondo: o patrimônio imobiliário: o estádio Orlando Scarpelli. Afinal que outro “ativo” o Figueirense tem?

Direitos federativos (findam com o fim do contrato) e são vedados a terceiros. Não tem atletas com contratos ou de expressão.

Na base, idem. Alguns contratos profissionais e outros poucos de formações e a maioria nada os prende contratualmente.

O afogadiço para a aprovação de tudo isto? Só porque está ruim a situação do FFC?

Repito: “Algo muito obscuro e estranho existe nisto tudo”. Repito questionei conselheiros membros da diretoria e, inclusive, sócios desse “grupo”.

A minha indignação que deveria ser dos associados e poderes do clube. Não tenho observado isso, ao contrário – uma letargia total e desconhecimentos das legislações vigentes. Quanto li que todos os ativos ficam à disposição ratifica a mim a questão do empreendimento imobiliário. Isso foi tentado no Santos FC – pegariam a Vila Belmiro e o CT. E teria um “rolo” com a Portuguesa Santista para ser lá construída uma Arena. A Vila e o CT seriam empreendimentos imobiliários. Não deu certo. Tentaram com o Jabaquara, também não. Veja que área da Vila e do CT são “super valorizados”, assim como a Rua Humaitá, estou certo? Não posso afirmar mais é uma linha coerente de pensamento. Pra finalizar, estranho do CEO até agora não ter dado nenhuma palavra.

 

                                                                                                                             OPINIÃO

Sobre esse processo mantenho a mesma opinião dada no texto favorável à assinatura. Não leu?     Leia AQUI      Por se tratar de projeto de longo prazo e que envolve uma instituição centenária, é fundamental a transparência e a exaustiva discussão sobre os todos os pontos do contrato. Mas aqui cabe uma ressalva: apesar do textoacima, tocar fundamentalmente na questão “nova arena”,  esse assunto não foi falado na reunião da última segunda feira na reunião do Conselho Deliberativo. Além de o interlocutor ter esclarecido isso, chequei depois com outros conselheiros.

Reunião do Conselho Deliberativo do Figueirense 31.07 - Marco Santiago/ND
Reunião do Conselho Deliberativo do Figueirense 31.07 – Marco Santiago/ND