“Se passar em branco é porque são coniventes”, diz Geninho sobre invasão no Figueirense

Técnico do Avaí cobra posicionamento firme das autoridades aos envolvidos na invasão e agressão a jogadores e funcionários do Figueirense no sábado (5), no Orlando Scarpelli

A solidariedade aos jogadores, comissão e funcionários do Figueirense, que viram o estádio Orlando Scarpelli ser invadido e profissionais agredidos no último sábado (5), durante um treino, veio de todos os cantos.

Polícia Civil tenta identificar grupo que invadiu o estádio Orlando Scarpelli com fogos de artifício no dia 5 de setembro – Foto: Divulgação/ND

Do rival Avaí, o técnico Geninho foi enfático ao dizer, durante entrevista coletiva, que “se a coisa passar em branco é porque são coniventes”. O comandante do Leão foi duro e pediu ação rápida e forte das autoridades. “Está na hora de uma tomada de posição muito forte, mas muito forte das autoridades. Está na hora do Ministério Público entrar nisso e tomar medidas. As imagens estão aí, é muito fácil identificar quem fez”, disse.

O caso aconteceu durante o treinamento do sábado. Atletas, comissão e funcionários do clube estavam no estádio quando, por volta das 15h, um grupo de torcedores invadiu o gramado e soltou fogos de artifício em direção aos jogadores que realizavam atividades no gramado.

A polícia trabalha para identificar os agressores e, ao menos quatro pessoas ficaram feridas na confusão.

Técnico Geninho cobra posicionamento firme das autoridades e punição aos invasores – Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC

Para Geninho, essa é uma atitude completamente “recriminável”. “Tem que enquadrar esses caras, chamar para a responsabilidade, enquadrar em agressão e até em tentativa de assassinato”, fala.

O técnico ressaltou, ainda, que é urgente que se tome uma atitude neste momento. “É momento de tomar uma posição muito forte antes que morra alguém porque depois não adianta”, reforçou.

Além do Avaí, outros clubes manifestaram sua solidariedade aos jogadores, comissão e funcionários do Furacão. A FCF (Federação Catarinense de Futebol) emitiu uma nota de repúdio dizendo ser “inadmissível que a dignidade de profissionais seja atacada de qualquer maneira, muito menos quando partem para a agressão e tiram a paz de quem está ali trabalhando, desempenhando sua respectiva profissão com responsabilidade e comprometimento”.

Confira as manifestações de clubes e entidades em Santa Catarina

Federação Catarinense de Futebol

A FCF vem a público manifestar seu profundo repúdio ao ocorrido na tarde deste sábado (05), quando pessoas mal-intencionadas passaram de todos os limites e, considerando-se no direito de tal, invadiram o treino do Figueirense Futebol Clube e cometeram atos de violência física e moral.

É inadmissível que a dignidade de profissionais – e acima de tudo seres humanos – seja atacada de qualquer maneira, muito menos quando partem para a agressão e tiram a paz de quem está ali trabalhando, desempenhando sua respectiva profissão com responsabilidade e comprometimento. O esporte existe para levar alegria a todos os envolvidos e, quando um grupo pensa que pode traçar o caminho inverso e promover o caos e o desrespeito, precisamos agir.

Nos posicionamos com firmeza ao lado do clube após esse episódio lastimável e não podemos aceitar que o nosso futebol tenha as marcas negativas de indivíduos mal-intencionados, mesmo que sejam a minoria.

Prestamos nossa solidariedade aos que foram covardemente agredidos no estádio Orlando Scarpelli e reiteramos que vamos continuar, ao lado dos filiados e das autoridades, trabalhando por um dia a dia digno e seguro em Santa Catarina.

SC Clubes

Quando um clube de futebol é ferido, como foi covardemente o nosso afiliado Figueirense F.C na tarde deste sábado, não podemos ficar calados. Afinal, todos nós fomos agredidos.
É inadmissível aceitar que um grupo de pessoas que se consideram torcedores façam o que fizeram: invadir um campo de futebol para agredir jogadores e comissão técnica que estavam trabalhando. Isso mesmo! Trabalhando num sábado à tarde, quando a maioria dos trabalhadores estava descansando, muitos num feriadão.

A Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina está ao lado do Figueirense para lutar contra esse tipo de atitude, que não é de quem faz futebol, mas de quem se acha no direito de usar da violência física e moral para agredir os que estão trabalhando e buscando o seu melhor. Isso não é futebol! Isso tem que acabar!

Junto com a Polícia Militar e o Ministério Público já evoluímos bastante no desenvolvimento do futebol seguro em Santa Catarina e iremos continuar juntos nessa luta, porque o que aconteceu no Estádio Orlando Scarpelli ontem não pode passar ileso.

Fica aqui externada a nossa solidariedade à Diretoria e a todos os colaboradores do Figueirense Futebol Clube e também o apoio de todos os clubes que integram o quadro da Associação para buscarmos a solução, a fim de evitar que isso não se repita mais em Santa Catarina.

Os clubes compartilharam a nota emitida pela SC Clubes com mensagens de apoio.

Brusque

O Brusque FC repudia veementemente atos antidesportivo que denigrem e envergonham nosso já sofrido futebol. Declaramos nosso total sentimento e apoio ao glorioso Figueirense FC. Aos atletas, comissão técnica, colaboradores e sua diretoria, nossa sincera solidariedade.

Chapecoense

Independente de resultados, os profissionais que dedicam suas vidas ao futebol – dentro ou fora de campo – merecem respeito. Qualquer tipo de agressão ou violência contra eles é um ato de covardia e precisa parar! Nossa solidariedade aos colegas do Figueirense.

JEC

O Joinville se solidariza com os profissionais do Figueirense e reforça a nota publicada pela SC Clubes. É necessário dar um basta na violência no futebol

+

Figueirense