Sem Carlos Alberto, Figueirense enfrenta o Metropolitano em Jaraguá do Sul

Dodô não foi regularizado e Bady é opção para o segundo tempo

Na zona de rebaixamento do Estadual, após a goleada de 6 a 1 do Camboriú sobre o Guarani de Palhoça, ontem, no Litoral, o Figueirense entra em campo pressionado contra o Metropolitano, no João Marcatto, em Jaraguá do Sul. O técnico Vinícius Eutrópio tenta montar uma nova equipe durante a competição, mas com pouco de trabalho desde que chegou e jogos a cada três dias, o jeito é repetir praticamente toda o time que empatou em 0 a 0 com o próprio Cambura, na última rodada, no Orlando Scarpelli.

Bady pode ser a novidade, mas somente para o segundo tempo, pois ainda não tem condições de atuar durante os 90 minutos. O meia teve o seu contrato publicado no Boletim Informativo Diário, da CBF. O outro reforço para o setor, Dodô, tinha sido relacionado na esperança de ser aproveitado, mas não foi regularizado.

Luiz Henrique/Divulgação FFC

Regularizado, Bady pode ser a novidade do Figueirense contra o Metrô

O jogador emprestado pelo Atlético-MG era opção para a equipe titular, pois estava em atividade (disputou sete partidas na temporada). O treinador não quer queimar Bady, que ainda não entrou em campo em 2016. Eutrópio quer que o atleta, vindo do Atlético-PR, seja utilizado em condições de ajudar o Figueirense, que vem tendo problemas na criação das jogadas.

“Não podemos perder uma contratação. Se não está pronto, não está pronto. Ele pode se lesionar, ir mal e acabar queimando uma etapa que não é necessária. Que o Bady entre em um processo positivo para todos falarem que ganhamos uma contratação”, comentou. 

Carlos Alberto, que voltou a treinar com bola na segunda-feira, não foi relacionado. O colombiano Michael Ortega, emprestado pelo Londrina, não tem a documentação necessária para jogar e também se lesionou durante os treinamentos. A esperança do treinador é que o camisa 19, com mais três dias para se preparar, possa jogar no domingo, contra o Brusque, fora de casa.

“O Carlos Alberto ficou um mês, um mês e meio parado. Não tem condição ainda para esse jogo. Se levar para o banco teria de treinar menos, amanhã (hoje) ficaria no banco e uma viagem na sexta. Perderíamos três dias de preparação. O mais coerente é treinar e assim que estiver à disposição vai para banco. Não vou colocar só para colocar”, declarou. 

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Figueirense

Loading...