Sem título desde 2008, Figueirense começa decisão com JEC neste domingo

Primeiro colocado no quadrangular final, alvinegro vai para as finais com ligeira vantagem

Sem erguer troféu de campeão desde 2008, o Figueirense começa neste domingo (6) a disputa das finais que podem dar ao clube o 16º título estadual. A decisão com o Joinville está prevista para as 16h na Arena Joinville. O estádio foi confirmado como local do jogo em nota divulgada neste sábado pelo Ministério Público. A segunda partida ocorre no domingo que vem, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Primeiro colocado no quadrangular final, o alvinegro entra na disputa com ligeira vantagem. Além de decidir em casa, o Figueira será campeão se as equipes terminarem empatadas em pontos e no saldo de gols.  

:: Pedido de interdição não é emergencial, diz MP, e final JEC x Figueirense será na Arena

:: Campeão com o Figueirense em 1996, Eutrópio vai para primeira decisão como técnico

Eduardo Valente/Arquivo ND

Ricardo Bueno é esperança de gol na tarde deste domingo

Com uma contratura na coxa direita, Marcos Assunção é a única dúvida do técnico Vinícius Eutrópio. O volante viajou com o restante do grupo para Joinville, mas não tem a escalação confirmada. Se o camisa 20 não puder entrar em campo, a vaga fica com Dener ou Luan. Nem será titular. “A ideia é que ele vá para o jogo, a relação foi feita e ele está treinando em paralelo. Conversamos com o jogador e vamos segurar até onde der para que possamos utilizá-lo, mas temos a opção do Dener ou Luan se o Assunção não estiver em condições”, informou.

Nos três confrontos com o JEC nesse ano, o Figueirense marcou cinco gols, todos de cabeça. Com um atacante do nível de Ricardo Bueno e zagueiros altos como Nirley e Thiago Heleno, Eutrópio revelou que esse tipo de jogada é uma das armas para vencer o Joinville. O técnico ainda elogiou o camisa 9. “Não é mera coincidência que tenhamos feito isso, temos trabalhado bastante esse fundamento. O Ricardo Bueno se recuperou antes do prazo normal, mérito muito grande dele, é diferenciado e de importância fundamental no nosso time. Além de tecnicamente, é um líder positivo fora de campo”, contou.


Paredão alvinegro

Tiago Volpi entrou numa fogueira no ano passado. Com a saída de Wilson, ídolo do clube, o goleiro assumiu a titularidade e, apesar da idade (23 anos), acabou com as desconfianças da torcida com grandes defesas, demonstrando segurança e, mais do que isso, liderança. Um dos jogadores preferidos dos torcedores atualmente, Volpi espera conquistar o Estadual para poder ser chamado de ídolo pelos alvinegros. “Conquistando esse título do Catarinense me encaminha para me tornar um ídolo. Me cobro muito. O que disputo quero ganhar. Seria perfeito quebrar esse tabu (de seis anos sem título)”, declarou.

Contra o Criciúma, o goleiro se queixou de dores, mas continuou na partida. Para a primeira partida da final, Volpi garantiu estar “200%”. O objetivo do Figueirense é conquistar a vitória para fazer aumentar a vantagem no jogo de volta, no Orlando Scarpelli. O jogador não teme a Arena lotada. “Não adianta fazer o segundo jogo em casa se não tivermos um bom resultado fora de casa. Temos que jogar para vencer. Tem a pressão da torcida, mas precisamos manter a postura, fazer o que fizemos lá em Criciúma. Quem errar menos vai decidir o campeonato”, comentou. 


Domínio do JEC

Em quatro ocasiões Figueirense e Joinville disputaram o título Estadual, mas só em uma delas houve final, em 2006, com vitória do alvinegro. Em 1979, 1983 e 1984 o troféu ficou com o JEC, mas o Campeonato Catarinense teve outras fórmulas para definir o campeão. Em 1979, o melhor de Santa Catarina foi decidido entre Joaçaba, Caçadorense, Criciúma, Chapecoense, Joinville e Figueirense. Em 1983 e 1984 foi a vez de um quadrangular e, por conta da tabela, alvinegro e JEC se enfrentaram na última partida. Nas três competições, o Joinville foi o melhor colocado nos pontos corridos garantiu o título.

O troco do Figueirense veio em 2006, dessa vez em uma decisão. Após perder fora de casa, o Figueirense fez 3 a 0 e conquistou o seu 14º Catarinense, mas no geral, o retrospecto do JEC é superior. Em 1983 jogos, foram 50 vitórias, 66 empates e 67 derrotas, com 192 gols a favor e 208 contra Nas últimas cinco partidas entre os clubes, contando Série B e Estadual, o Figueirense venceu apenas um, perdeu três e empatou uma.

JOINVILLE
Ivan; Franco (Murilo), Bruno Aguiar, Juliano e Bruno Costa; Naldo, Marcelo Costa e Tartá; Wellington Saci, Edigar Junio e Jael. Técnico: Hemerson Maria.

FIGUEIRENSE
Tiago Volpi; Leandro Silva, Nirley, Tiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Dener (Nem), Marcos Assunção e Giovanni Augusto; Dudu, Everton Santos e Ricardo Bueno. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Local: Arena Joinville, em Joinville. Horário: 16h. Arbitragem: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Helton Nunes e Angelo Bechi. Árbitros de linha: Carlos Eduardo Arêas e Edmundo do Nascimento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Figueirense

Loading...