Drika Evarini

adrieli.evarini@ndmais.com.br Opinião, novidades, contratações e bastidores do esporte joinvilense e muito mais. Apaixonada por futebol, basquete, futsal e tudo que envolve o mundo do esporte, está sempre atenta a tudo que acontece dentro e fora dos campos e das quadras.


A estrela que vem do banco: precisamos exaltar Thiago Juan

Aos 20 anos, o atacante tem uma estrela que brilha muito e empurra o JEC rumo à Série C

A classificação sofrida, emocionante e épica do JEC às oitavas de final da Série D consagrou o goleiro Rafael Pascoal, que livrou o Tricolor nos 90 minutos e se agigantou ainda mais nas cobranças de pênalti: defendeu três, viu uma na sua trave e caiu nas graças de cada torcedor tricolor. Mas, nós também precisamos falar e exaltar outro personagem: Thiago Juan.

Thiago Juan marcou o terceiro gol com a camisa tricolor, terceiro gol como profissional – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/NDThiago Juan marcou o terceiro gol com a camisa tricolor, terceiro gol como profissional – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/ND

O garoto de apenas 20 anos nasceu para brilhar e nada me faz pensar o contrário. Um mês. Esse é o tempo que ele está em Joinville. Há um mês ele chegava para ser mais um no time. Em um mês ele se transformou em uma das principais peças do elenco, um elenco forte, equilibrado e que vê o garoto sair do banco para decidir.

A personalidade e maturidade do camisa 21 são tão grandes quanto sua qualidade e oportunismo. Rápido, Thiago Juan se posiciona em campo com a visão de quem sabe de onde a bola vem, para onde vai e para onde deve ir: para o gol.

Contra o Cascavel, entrou e iluminou o jogo, colocou fogo em uma partida difícil, dura, se viu falhando e triunfando. Dois gols, vitória, liderança e o desequilíbrio de um garoto.

No Rio de Janeiro, entrou e mudou a postura do time, que fica mais agressivo, mais veloz e mais efetivo porque tem nos pés e na cabeça do garoto capixaba o talento natural de quem nasceu para estar em um campo de futebol.

Neste sábado (18), a pressão do jogo decisivo. Era tudo ou nada. Todos sabiam que era o jogo da vida. Mais uma vez, Thiago Juan saiu do banco no intervalo e, com a tranquilidade de quem nasceu para fazer gols e comemorar, marcou o seu, de cabeça, em ótima jogada de Chrystian. Ele ainda teve a chance de mais, em nova finalização de cabeça que quase empurrou o goleiro Paulo Henrique gol adentro. Mérito do goleiro do Bangu, que estava em ótima tarde.

Thiago Juan entrou no intervalo e marcou seu terceiro gol com a camisa tricolor – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/NDThiago Juan entrou no intervalo e marcou seu terceiro gol com a camisa tricolor – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/ND

Em cinco jogos, Thiago Juan marcou três vezes e é um dos artilheiros do time na Série D. Em apenas cinco dos 16 jogos que o time fez até aqui. Ao lado dele, só Paulo Victor.

O garoto chegou com o aval do comandante Leandro Zago, com quem já trabalhou na base do Atlético-MG. Chegou com a confiança do treinador, que mexe quando precisa e mexe como mágica. Thiago Juan entra e muda. Muda o time, o jogo, sua história, a história do JEC, que não é na Série D, nunca foi lá o seu lugar.

Thiago Juan tem estrela, 20 anos, um presente e um futuro repletos de gols, comemorações e triunfos. E enquanto ele vestir a camisa tricolor, sorte a nossa.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...