Davi Lopes abre o jogo sobre momento no JEC

Volante desmentiu rumor sobre a sua saída para o Brusque e afirmou que está com a cabeça completamente focada no Coelho

Ainda tratando uma entorse no tornozelo que o tirou do jogo contra o Avaí, o volante Davi Lopes foi o centro de um boato que movimentou a imprensa e a torcida joinvilense nos últimos dias.

Davi Lopes, vesito com o primeiro uniforme, domina bola e marcado por jogador do Brusque; Arbitro aparece no fundo acompanhando a jogadaDavi Lopes desmentiu rumor sobre a sua saída do Joinville – Foto: JEC/Divulgação/ND

O suposto interesse do Brusque na contratação do camisa 8 foi ventilado na cidade pouco antes do confronto do último domingo (18) e a atuação do volante foi, inclusive, apontada como “limitada” sob a alegação de que ele “estaria com a cabeça em Brusque”.

A afirmação incomodou o jogador que foi taxativo. “Se eu não estivesse com a cabeça aqui, não estaria jogando com 80%, 90% da forma física”, disse na tarde desta segunda-feira (19) no CT do Morro do Meio.

O jogador continua tratando a lesão e ressaltou que optou por entrar em campo com o time. A decisão foi tomada em conjunto entre atleta, comissão técnica e diretoria.

“É uma lesão que seria de mais ou menos 15 dias, mas pela situação que estamos e com jogos importantes, fizemos uma maratona de tratamento, exames e decidimos jogar mesmo não estando 100%. Sabemos da importância que eu tenho no time, gosto da responsabilidade e decidimos que mesmo não entrando 100% eu poderia ajudar”, complementou.

Sem agente, Davi Lopes garante que não recebeu qualquer contato da diretoria do Brusque. O diretor de futebol, Léo Roesler também afirmou que não foi procurado e, ainda na tarde de ontem, o presidente do JEC, Charles Fischer, garantiu que assim que os boatos iniciaram, ligou para o presidente do Brusque, Danilo Rezini. “Liguei e ele negou. Disse ainda: você sabe que eu falaria com você primeiro”, disse.

Deixando de lado qualquer boato, Davi Lopes tem um único foco: o jogo contra o Hercílio Luz amanhã, em Tubarão, no Sul do Estado. “Eu não quero saber de nada agora porque meu pensamento é fazer um grande jogo e chegar no mata-mata, que aí é outro campeonato”, falou.

A fase delicada incomoda os jogadores, mas para Davi, o JEC fez um bom jogo e, sem expulsão, poderia ter buscado a vitória. Agora, apesar de um empate classificar o time, o volante quer a vitória.

“Sabemos que o empate nos classifica, mas vamos pela vitória, não jogamos para empatar. É como todo jogo do Estadual, é guerra, não tem jogo fácil. Sabíamos que a fase boa não duraria para sempre, assim como essa fase ruim também vai passar. Vamos para fazer um bom jogo e classificar. Depois, sabemos que mata-mata é outro campeonato”, finaliza.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Joinville Esporte Clube