Drika Evarini

adrieli.evarini@ndmais.com.br Opinião, novidades, contratações e bastidores do esporte joinvilense e muito mais. Apaixonada por futebol, basquete, futsal e tudo que envolve o mundo do esporte, está sempre atenta a tudo que acontece dentro e fora dos campos e das quadras.


Depois de sequência ‘zerada’, zaga do JEC acumula 13 gols sofridos nas 10 últimas partidas

Último jogo em que o Tricolor não foi vazado aconteceu ainda na primeira fase da Série D, há quase dois meses

O JEC fechou a primeira fase da Série D como uma das melhores defesas entre 64 times da quarta divisão. Foram apenas seis gols sofridos em 14 jogos disputados e a solidez defensiva era uma das principais características do time que se classificou em primeiro do grupo e deu muitas esperanças ao torcedor.

Rafael Pascoal se tornou, nesta temporada, o único goleiro na história do JEC a defender três pênaltis no mesmo jogo – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/NDRafael Pascoal se tornou, nesta temporada, o único goleiro na história do JEC a defender três pênaltis no mesmo jogo – Foto: Vitor Forcellini/JEC/Divulgação/ND

No entanto, desde a penúltima rodada da primeira fase, quando o Tricolor ficou no 0 a 0 contra o Aimoré, no Rio Grande do Sul, no dia 28 de agosto, o time toma, ao menos, um gol por partida.

De lá para cá foram cinco jogos na Série D e outros cinco na Copa Santa Catarina e um total de 13 gols sofridos, cinco deles no Campeonato Brasileiro e oito na Copa SC.

Nesse “meio tempo”, veio a eliminação e o adeus ao sonho da Série C e uma campanha perigosa na Copinha, que deixa o time com a pressão de vencer os dois jogos que restam para lutar pelo título e pela vaga na Copa do Brasil.

O JEC continua sofrendo “poucos” gols, com exceção do Figueirense, que marcou três, e do Caçador, que fez dois, os adversários não marcam mais do que uma vez. Além deles, o Cascavel, na rodada de abertura da Série D também castigou a defesa tricolor.

Não se pode dizer que o técnico Leandro Zago não mexeu no setor defensivo quando o time começou a sofrer com gols que antes não sofria. Nas últimas rodadas, a dupla de zaga foi alterada, saiu Helerson, entrou Jaques, mas os gols continuam saindo.

Mas, se antes havia alguma margem para erro, agora não há mais. O JEC não pode perder, se quiser esticar a temporada, conquistar a Copa SC e ficar com a vaga na Copa do Brasil. E o goleiro Rafael Pascoal sabe disso.

“Os jogos são diferentes, hoje não podemos empatar, precisamos atacar mais, fazer os gols nas chances que estamos criando para manter viva a chance de classificação, estamos muito confiantes. Precisamos continuar impondo o jogo como estamos fazendo. São 20 jogos com o Zago e apenas uma derrota, quem assiste vê que sempre estamos impondo o jogo”, fala.

Em contrapartida, o goleiro sabe também que o time precisa melhorar e não cometer os erros que já cometeu e que culminaram em gols adversários. “Foram  erros isolados, um erro ou outro. As equipes não finalizam muito no nosso time. É difícil não ter erros, mas vamos melhorando isso”, finaliza.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...