Empate amargo para o JEC

Semifinal. Tricolor começou bem, abriu o placar e tinha um jogador a mais, mas cedeu o empate no segundo tempo



Rogerio da Silva/ND

Com um jogador a menos, Figueirense arranca um empate na Arena Joinville

O JEC começou jogando bem, levantando a torcida. Com apenas um minuto de jogo, Ramon recebeu passe e invadia a área adversária quando foi derrubado. O juiz sinalizou a marca do pênalti, mas acabou marcando somente a falta mesmo, fora da área. Houve muita reclamação, mas o juiz não mudou de ideia.

Aos nove minutos, foi a vez do Figueirense chegar com perigo. Doriva recebeu excelente passe para chutar livre pela direita, mas acabou pegando mal na bola e mandando por cima do gol Tricolor.

O placar foi aberto dois minutos depois. Ricardinho cobrou falta pelo lado direito, a bola passou por todo mundo e acabou enganando o goleiro Wilson, que aceitou o gol do JEC: 1 a 0.

Apesar do gol, a partida seguia equilibrada, mas o Figueirense se mantinha recuado, com um esquema tático mais defensivo. Aos 23 minutos, depois de uma confusão na área do Furacão, Túlio acabou perdendo a cabeça e agredindo Bruno Rangel. O juiz não pensou muito para puxar o cartão vermelho e expulsar o atleta do Figueira.

Com um a mais, pela lógica o Tricolor teria vantagem. Na prática não foi bem assim. Depois da expulsão de Túlio, o Joinville não conseguiu mais se acertar no ataque. Continuava pressionando, mas o Figueirense se fechou ainda mais e aproveitava os contra-ataques.

Em um deles, Guilherme Santos arriscou um chute de fora, mas o Ivan salvou o Joinville do empate, fazendo uma excelente defesa.

  

Segundo tempo para corações fortes

Na primeira e única oportunidade do Figueirense no segundo tempo, Guilherme Santos não desperdiçou. A jogada começou com Botti, que cruzou a bola na área para Fernandes. Ele tentou e no rebote, Guilherme só precisou completar para o fundo da rede Tricolor, aos 4 minutos: 1 a 1.

Se segurar a vitória estava difícil, manter o empate por todo o segundo tempo foi ainda mais complicado. O JEC chegava várias vezes com perigo, mas não conseguia o gol.

Aos 18 minutos, Aldair cruzou a bola na área e na finalização Bruno Rangel acertou o travessão, para o desespero da torcida. Dois minutos depois, foi a vez de Glaydson ter a sua chance. Na cobrança de escanteio, a bola sobrou pra ele chutar pela esquerda. Wilson defendeu milagrosamente o chute e no rebote Ramon chutou por cima.

Aos 34 minutos, Pedro Paulo perdeu a melhor oportunidade do segundo tempo de colocar o Joinville novamente à frente do placar. No cruzamento, Glaydson acabou atrapalhando o zagueiro e ele cabeceou a bola na rede pelo lado de fora.

Coutinho ainda reclamou um pênalti para o Figueirense aos 39 minutos, depois de cair na área, mas o juiz também não marcou.

Enfrentando o Figueirense neste domingo pela primeira partida da semifinal do Campeonato Catarinense, o Joinville saiu de campo com um amargo empate em 1 a 1 e agora terá uma tarefa muito complicada no próximo domingo em Florianópolis, na segunda partida do quadrangular final. O Tricolor precisará vencer na Capital por qualquer placar para avançar à final. 

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Figueirense