Impasse entre clubes e prefeituras complica o retorno do futebol em SC

Depois do governador Carlos Moisés liberar a prática da atividade em Santa Catarina, FCF sinalizou com volta do Catarinense em junho; mas veto de alguns municípios deve inviabilizar esse desejo

Diante da incerteza que assola o cenário do futebol catarinense (e de todo o planeta), frente à pandemia do novo coronavírus, alguns clubes começam a articular o retorno aos treinamentos presenciais.

Após o decreto da última segunda-feira (11) do governo de Santa Catarina, que permite o retorno das atividades, clubes e prefeituras adotaram novas medidas.

Mas as testagens e o cumprimento de todos os protocolos de segurança se tornaram um empecilho para clubes com menor orçamento. Até o momento apenas o Avaí realizou as testagens em atletas, comissão técnica e funcionários. Um dos jogadores, que não teve o nome divulgado, foi infectado pelo coronavírus.

O Figueirense adquiriu os testes, porém, ainda não definiu uma data para a testagem dos envolvidos no clube.

A reportagem do nd+ entrou em contato com as prefeituras das cidades com clubes envolvidos no Campeonato Catarinense para entender como estão lidando com essa possível volta do esporte.

Mesmo com o decreto estadual, cada cidade tem autonomia para não acatá-lo se entender que deve manter medidas rígidas em relação ao combate à Cvid-19. A prefeitura de Florianópolis foi a primeira a se manifestar e barrou qualquer iniciativa nesse sentido.

Avaí tenta liberação da prefeitura

A retomada dos treinos de futebol foi proibida em Florianópolis. Em parecer emitido na tarde desta quarta-feira (13), a equipe técnica de saúde da prefeitura da cidade se manifestou contra a retomada da atividade.

Avaí quer retorno dos treinamentos após negativa da prefeitura – Foto: Divulgação/Avaí F.C

Com a decisão, a diretoria do Leão enviou, juntamente com o Figueirense, um novo ofício para a prefeitura de Florianópolis pedindo a reconsideração da decisão de proibir os treinos dos atletas em campo.

Além disso, o clube encaminhou um protocolo de proteção, elaborado pelo médico Luis Fernando Funchal, esclarecendo vários pontos das medidas protetivas e de segurança para todos na Ressacada.

Em entrevista para a Rádio Avaí, o médico afirmou que o protocolo foi inspirado no mesmo documento do campeonato alemão. E usado por clubes do País como Bayern de Munique e Borussia Dortmund.

Então, após a resposta do executivo municipal, o clube vai tomar as medidas já estabelecidas para seguir com a preparação para a volta às atividades. Enquanto isso, os atletas treinam em isolamento social, com acompanhamento da comissão via internet.

Brusque é o primeiro a retomar as atividades

O Brusque foi o primeiro clube a retornar os treinos após o novo decreto. Os jogadores da equipe se reapresentaram às 13h desta quinta-feira (14), no estádio Augusto Bauer. Os treinamentos começam nesta sexta-feira (15).

Jogadores do Brusque se reapresentaram na tarde desta quinta-feira – Foto: Divulgação/Brusque

A diretoria do clube encaminhou um ofício à prefeitura da cidade que retomaria as atividades presenciais. O documento foi devolvido com o ok do prefeito Jonas Oscar Paegle (PSB).

Segundo o clube, os treinos serão realizados com o mínimo possível de pessoas e os atletas serão divididos em grupos pequenos para a realização das atividades no gramado, mantendo o distanciamento mínimo de dois metros para cada um.

Cada atleta terá que levar o próprio material. Haverá a aferição de temperatura e não serão utilizados vestiários. O clube ainda afirmou que irá realizar os testes para a Covid-19 em um “próximo momento”.

Em Chapecó tema segue em debate

Conforme a prefeitura de Chapecó, a retomada dos treinamentos de futebol ainda é debatida numa série de estratégias que o município vem trabalhando “dentro de um plano estratégico que contempla várias ações”.

A Chapecoense afirmou que seguirá todas as determinações do governo do Estado e dos órgãos de saúde. O clube fará a testagem de todos os atletas, comissão técnica e demais profissionais antes de um retorno aos treinamentos.

Os treinos presenciais serão restabelecidos assim que todos forem testados. Caso alguém teste positivo, será imediatamente afastado.

Prefeitura e Concórdia concordam com paralisação

O prefeito de Concórdia, Rogério Luciano Pacheco (PSDB), assinou na tarde de terça-feira (12), o decreto que restringe os treinamentos esportivos na cidade. No entendimento da administração municipal, o cenário ainda não está propício para a retomada e a conclusão veio em função do aumento de casos na região Oeste do Estado. Todas as praças esportivas do município seguem interditadas até 31 de maio.

Pacheco afirma que a restrição será aplicada por sete dias e que deve ter nova avaliação na próxima semana. “Precisamos preservar a saúde destes desportistas e entendemos que ainda não chegou o momento de flexibilizar. É preciso ter cautela e a prática esportiva automaticamente reúne pessoas e gera contato físico”, justifica o prefeito.

O Concórdia Atlético Clube disse apoiar a decisão do prefeito pelo não retorno dos treinamentos. O clube afirma levar em conta as informações técnicas e fatos apresentados pelo poder público municipal e Secretaria de Saúde.

A direção do clube ainda citou o aumento do número de casos de coronavírus na região, como fator preponderante.

“Estamos conscientes que o número de casos tem aumentado significativamente em nossa região e pelo bem de todos apoiamos a decisão do prefeito, conversamos com os atletas do elenco e os mesmos compartilham da mesma preocupação”, disse o presidente Jonas Guzzatto.

“Mais uma vez reforço que o momento é de cautela e o importante é a saúde, desta forma a melhor decisão é aguardarmos um momento em que a pandêmia esteja sob controle para que seja retomado os trabalhos”, destacou.

Prefeitura de Criciúma é favorável ao retorno

Por meio de assessoria, a prefeitura de Criciúma afirmou que o prefeito Clésio Salvaro é favorável ao retorno das atividades esportivas no município. A administração municipal se reuniu nesta quarta-feira (13) junto à diretoria do Tigre para acertar os detalhes do retorno as atividades.

Após a reunião, foi definido que a cidade seguirá o decreto do governo do Estado da última segunda-feira e não colocará mais medidas restritivas.

O clube agora aguarda a reunião entre os presidentes dos clubes do Campeonato Catarinense com a FCF para retomar as atividades presenciais. Por enquanto, seguem os treinamentos em home office.

Figueirense prepara retorno em Palhoça

O Figueirense recebeu a autorização do prefeito de Palhoça, Camilo Martins (PSD), para que o elenco profissional alvinegro retome suas atividades no Centro de Formação e Treinamento do Cambirela.

Figueirense irá testar funcionários, jogadores e comissão técnica antes de retorno – Foto: Divulgação/FFC

O município se comprometeu também em fazer um monitoramento das atividades com sua equipe técnica da vigilância epidemiológica para verificar se as restrições impostas pelas autoridades de saúde do Estado serão cumpridas.

Testes para a Covid-19 foram adquiridos pelo clube. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (14). Atletas, comissão técnica e funcionários administrativos e diretoria serão testados.

O clube reitera que os treinamentos presenciais só irão retornar após os resultados.

Em contato com a reportagem do nd+, o prefeito Camilo Martins confirmou a informação e “abriu as portas” do município para o rival Avaí, para que também possa treinar na cidade.

Joinville vai cumprir o decreto estadual

Em Joinville a prefeitura vai seguir o decreto estadual, de acordo com a informação do Secretário de Comunicação, Marco Aurélio Braga. Com isso os treinamentos do JEC podem ser retomados de acordo com os termos apresentados pelo Governo de SC.

Em contato com a reportagem do nd+, o Joinville afirmou que ainda não decidiu a data de retorno das atividades presenciais e seguirá aguardando uma definição.

Juventus volta na próxima semana

A prefeitura de Jaraguá do Sul liberou os treinamentos, porém, com uma série de restrições. Haverá limitação de atletas no mesmo horário, o uso de vestiário para banho está proibido, não pode haver contato, além de ser necessária a medição de temperatura.

O Juventus convocou os atletas do clube para a reapresentação na próxima segunda-feira (18), no estádio João Marcatto.

A diretoria afirma que clube está preparado para atender as recomendações em relação a saúde para evitar qualquer risco de contaminação. Todos os atletas serão monitorados.

Marcílio Dias é contra o retorno

A prefeitura de Itajaí, por meio de assessoria, afirmou que segue as determinações do governo do Estado. No entanto, em relação a volta dos treinamentos de futebol, o município diz estar “avaliando se acatará ou restringirá”.

No entanto, o Marcílio Dias só deve retomar os treinamento presenciais, caso liberados, após uma definição sobre uma possível volta do Campeonato Catarinense.

O clube diz ser contra a volta dos treinamentos. “Não temos estrutura para seguir todos os protocolos de segurança”, afirmou através de assessoria.

Até essa sexta-feira (15) o clube acredita que a prefeitura deve ter uma definição sobre a situação. Mas mesmo com a liberação, não pretende retornar aos trabalhos.

Tubarão segue parado até o fim de maio

Em videoconferência na tarde desta quarta-feira (13), o prefeito Joares Ponticelli (PP) e dirigentes esportivos da cidade, discutiram a retomada dos treinamentos de algumas modalidades esportivas, tendo em vista, a publicação de decreto estadual sobre o tema.

Participaram da reunião virtual o prefeito e o presidente da Fundação Municipal de Esporte, professor Ernani Buerger, pela prefeitura, além dos representantes do Tubarão Futsal, Eduardo Rigotti; do Clube Atlético Tubarão, Joca Lapolli; da ATN, Eduardo Morini; do Clube Caça e Tiro, Moacir Campos Goulart; da Associação de Atletismo, Rosane Machado; dos Pequenos Leoninos, Samuel Farias e da LTF, Welington Brasil.

Os gestores comunicaram que no âmbito do município, as atividades de treino do desporto, seja profissional ou amador, permanecerão suspensas até o dia 31 de maio de 2020. A justificativa é que não há total segurança sanitária para tais atividades.

Os dirigentes presentes concordaram com a decisão e seguem, em seus clubes e associações, acompanhando a evolução dos fatos.

Para o Clube Atlético Tubarão, trata-se de um momento de “cautela”. Conforme repassado, em nota, pela assessoria do Peixe do Sul, o Tubarão pede mais “clareza” nos protocolos de segurança, além de uma data certa para a retomada do Catarinense.

“O protocolo tem um custo elevado e, sem data marcada, o clube acaba tendo apenas gastos. Sem essa definição, nós não devemos retornar ao treinamentos presenciais”, resumiu.

O que diz a Federação Catarinense de Futebol

Por meio de nota, a Federação Catarinense de Futebol se pronunciou da seguinte forma: “Nós só voltaremos se o governo liberar. Caso não se consiga que todos estejam preparados a partir da liberação, daremos 10/15 dias para a preparação”, afirmou o presidente Rubens Angelotti.

+

Avaí