Após novo empate sem gols, Joinville conquista o título de campeão catarinense de 2015

Conquista quebra jejum tricolor de 14 anos no Estadual

Eduardo Valente/ND

Empate garantiu título ao Coelho

Após 14 anos, o Joinville volta a conquistar um título do Campeonato Catarinense. Depois de fazer um novo empate sem gols, desta vez diante de sua torcida, contra o Figueirense, na Arena Joinville, o Coelho somou o 13o. título estadual após o apito final dado na partida deste domingo (3), para delírio da torcida. Apesar dos possíveis desdobramentos que a conquista pode ter fora do gramado, devido denúncia de irregularidade a ser julgada pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportivo) do Estado na próxima terça (5), a noite foi de comemoração e festa para os joinvilenses.

Diante da torcida, o Joinville começou bastante ofensivo, não querendo saber da vantagem do empate para a conquista do título. Com Rogério pela esquerda e Kempes, na direita, o Tricolor articulava suas principais investidas. A primeira grande chance veio dos pés de Marcelo Costa, em chute de fora da área, aos 15 minutos, que desviou no defensor. Aos 19, foi o goleiro Alex Muralha que teve que se virar, após cobrança de falta de Tiago Luís. Enquanto o Joinville pressionava, o Figueirense ficava no contra-ataque.

Aos 26, numa falha incrível do lateral Rogério, o atacante Clayton ficou cara a cara com Oliveira, mas o goleiro Tricolor operou uma defesa milagrosa com os pés. Apesar do susto, o Joinville continuava melhor. Aos 35, Augusto César bateu com perigo, obrigando Alex a trabalhar novamente. Depois de cobrança de escanteio, Kempes cabeceou na pequena área e a bola caprichosamente bateu na trave. Mesmo com as tentativas, o marcador ficou zerado até o intervalo.

Empurrado pela torcida, o Joinville voltou para a etapa final no mesmo ímpeto, buscando pressionar o adversário no campo de ataque. A marcação forte do alvinegro dificultava as finalizações. No objetivo de garantir maior ofensividade, Argel Fucks trocou Dudu por Mazola. Com a mudança, o Figueirense passou a arriscar mais, sem levar perigo. Na metade do segundo tempo, Hemerson Maria respondeu com a entrada de Jael e Willian Popp, demonstrando que iria buscar a vitória de todo jeito.

A partir daí, o jogo ficou mais nervoso e aberto. Em chute de longa distância, França chegou a ameaçar o gol de Oliveira. Aos 34, Jael tentou de falta. Minutos depois, foi Welinton Junior quem arriscou de longe, assustando Alex Muralha. Os minutos finais foram de muita tensão. Aos 44 minutos, a torcida do Joinville já gritava “é campeão”. Dois minutos após, Mazola quase marcou, de cabeça, mas o empate estava decretado, com o título garantido para o Coelho.

Ficha técnica

Local: Arena Joinville, em Joinville. Data: 3/5/2015 (domingo). Horário: 16h. Arbitragem: Sandro Meira Ricci, auxiliado por Nadine Schramm Câmara Bastos e Helton Nunes. 

Joinville

Oliveira; Sueliton, Bruno Aguiar, Guti e Rogério; Naldo, Augusto César (Willian Popp) e Marcelo Costa; Welinton Junior, Tiago Luís (Anselmo) e Kempes (Jael).

Técnico: Hemerson Maria

Figueirense

Alex Muralha; Fabinho, Marquinhos, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Paulo Roberto, França e Denner (Yago); Clayton, Dudu (Mazola) e Marcão.

Técnico: Argel Fucks

Cartões amarelos: Denner, Marquinhos (F), Sueliton, Kempes (J)

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Catarinense

Loading...

Joinville joga bem, mas perde em casa para o Santos: 1 a 0

Apesar da derrota, tricolor teve as melhores oportunidades na partida

Com quase 17 mil pessoas na Arena Joinville, o tricolor foi melhor que o Santos na noite desta quarta-feira (8), mas acabou perdendo por 1 a 0 o jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil. Em lance isolado no fim do jogo, Marcos Assunção levantou a bola na área do JEC, e Durval decretou a derrota dos donos da casa. Com o resultado, o time de Neymar joga pelo empate na partida de volta, dia 22, na Vila Belmiro. Ao Joinville, que corria o risco de ser eliminado já nesta quarta-feira se perdesse por dois ou mais gols de diferença, só a vitória interessa. 

Leia mais: “Se faço o gol seria uma estreia redonda”, diz Ligüera, do Joinville

Leia mais: Neymar diz que esperava por jogo difícil e já pensa no duelo com o Timão

Leia mais: Arturzinho prevê que JEC fará grande jogo na Vila Belmiro

Luciano Moraes/ND

Joinville teve ótimas chances contra o gol de Rafael

Para vibração da torcida, o Joinville começou já no primeiro segundo de jogo mandando a bola para frente. O ataque articulado por Lima acabou sem finalização, mas empolgou os torcedores logo de saída. O Santos respondeu na sequência, mas sem precisão. Perigo mesmo foi a bomba de Carlos Alberto, que obrigou o goleiro do Peixe a fazer a primeira de uma séria de boas defesas no jogo. Mesmo passado o embalo inicial, o tricolor continuou mostrando iniciativa, travando as jogadas santistas e se arriscando na área adversária.

A primeira grande chance do Santos veio dos pés de Neymar. Ao dar assistência para o companheiro, obrigou também a primeira importante intervenção de Ivan, que completou a centésima partida com a camisa do JEC. A partir do lance, a equipe santista passou a equilibrar as oportunidades, enquanto o Joinville manteve a movimentação, mas sem boas finalizações. Aos 20 minutos, Ricardinho buscou Lima dentro da pequena área, mas a bola foi interceptada pelo goleiro.

O Santos respondeu às investidas do Joinville com Felipe. Ele cobrou falta, e Neymar tentou de cabeça. A melhor chance, no entanto, veio aos 35, quando o craque santista tentou o gol em chute de falta. A bola correu ligeira pelo canto esquerdo de Ivan, mas foi para fora. Com a pressão adversária, o tricolor recuou e criou poucas oportunidades. O placar do primeiro tempo ficou no 0 a 0.

Na volta dos vestiários, o Joinville recomeçou criando a primeira chance da etapa. Foi aos cinco, com Marcelo Costa cobrando falta na cabeça de Lima. O goleiro Rafael teve que fazer mais uma difícil defesa. Buscando o resultado, o JEC passou a ter oportunidades reais de gol. A melhor foi desperdiçada aos 17 minutos por Ligüera que, mesmo livre, chutou fora da meta adversária. Na sequência, Marcelo Costa e Carlos Aberto ainda articularam boas jogadas.

Quando o empate sem gols se mostrava o resultado provável, veio o gol do Santos. Aos 37, Durval desviou após cobrança de falta de Marcos Assunção. Batido no lance, Ivan nada pode fazer para evitar. Preocupado em não tomar o segundo gol, o Joinville lutou até o fim, mas não teve tempo suficiente para reverter o placar.

JOINVILLE (0)
Ivan; Carlos Alberto, Sandro, Rafael e Rafinha; Augusto Recife, Marcus Vinícius, Ricardinho (Ligüera) e Marcelo Costa; Matheus Carvalho (Somália) e Lima (Ronaldo). Técnico: Arturzinho.

SANTOS (1)
Rafael; Edu Dracena, Durval, Neto e Felipe Anderson; Emerson, Arouca, Renê Júnior (Marcos Assunção) e Cícero; Neymar e Miralles (André). Técnico: Muricy Ramalho.

Gol: Durval, aos 37 do segundo tempo. Cartões amarelos: Carlos Alberto, Matheus Carvalho e Marcelo Costa (J); Renê Júnior e Marcus Assunção (S). Local: Arena Joinville, em Joinville. Arbitragem: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por João Monteiro de Souza Junior e Jorge Eduardo Bernardi. Público: 16.829. Renda: R$ 468.865,00.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Brasileiro

Loading...