“Não era o momento adequado”, diz Martinelli sobre as declarações de Lima

Estadual 2012. Dirigente reafirma que o atacante não sai do JEC e considera que o jogador quis “se promover um pouquinho”

 

Rogerio da Silva/ND

Lima revelou interesse de defender o Figueirense no jogo de domingo

 

   “Já falei ao Lima que ele não sai. Série A é bom, mas ele tem um compromisso com o Joinville até o fim do ano.” A frase do diretor de futebol do JEC, Nereu Martinelli, dita à coluna “Placar” da edição de terça do Notícias do Dia, foi reafirmada pelo dirigente na noite de ontem. Martinelli voltou a se posicionar depois de uma entrevista de Lima ontem, à rádio “Transamérica”. O jogador cobrou uma resposta da diretoria sobre a proposta feita pelo Figueirense. “O Nereu (Martinelli) poderia chegar e descartar essa possibilidade (de transferência), só que ele tá deixando e isso não pode acontecer porque o torcedor vai ficar de encontro a mim”, afirmou Lima. Em resposta, o dirigente negou ao ND a saída de Lima e o condenou. “Disse para ele esquecer este assunto porque não era o momento adequado para tratar disso”, replicou Martinelli, lembrando que o JEC disputa com o Figueirense uma vaga na final do Campeonato Catarinense no próximo domingo.

    A possível transferência do atacante Lima para o Figueirense agita o ambiente do Joinville desde domingo. Antes do jogo contra o Alvinegro, o jogador confirmou a uma rádio de Florianópolis ter recebido uma proposta do Figueirense. Na entrevista, o atleta disse estar aguardando pelo acerto. “Espero que dessa vez venha ocorrer tudo bem para que eu possa jogar aí, quem sabe, uma Série A pela equipe do Figueirense.”

    Nereu Martinelli detalhou o caso. Segundo ele, o empresário Eduardo Uram (proprietário da Brazil Soccer e parceiro do Figueirense) procurou Lima há 15 dias. Informado do interesse da equipe da Capital, o dirigente recomendou ao jogador que esquecesse o assunto. No domingo, Martinelli voltou a ser procurado, desta vez de forma oficial, pelo diretor de futebol do Figueirense, Marcos Moura Teixeira, e pelo investidor do clube, Wilfredo Brillinger. “Disse a eles que eu não poderia liberá-lo e que este assunto ficaria a cargo do presidente. Mas o Marcio (Vogelsanger) disse que só libera o Lima com o pagamento da multa”, explicou.

     Para Martinelli, este assunto ganhou repercussão porque Lima tentou se valorizar. “É normal um atleta de 29 anos querer se promover um pouquinho. Só que o Lima tem entender que ele tem contrato e só vai ser liberado com o pagamento da multa rescisória.” O Joinville não soube informar com exatidão o valor da multa rescisória, mas estima que ela esteja avaliada em R$ 1,2 milhão.

Lima se contradiz e nega vontade de defender o Figueirense

   A entrevista de Lima para uma rádio de Florianópolis no domingo repercutiu mal com a diretoria do JEC e, principalmente, com os torcedores tricolores. Nas redes sociais, vários jequeanos pediram a saída do atacante. Disse Lima no domingo: “Espero que dessa vez venha ocorrer tudo bem para que eu possa jogar aí, quem sabe, uma Série A pela equipe do Figueirense.” Ontem, em entrevista à rádio “Transamérica” ele contradisse as próprias palavras. “O que eu quero dizer é que, em 2009, eu joguei a Série A pelo Goiás e não foi da forma que eu queria. E hoje tá pintando uma oportunidade, que não é toda hora que aparece”, afirmou.

    Na sequência, reforçou as palavras. “Se for o caso, eu peço desculpas, sem problema nenhum. Não foi aquilo que o torcedor tá querendo entender. Eu quis dizer que desejaria jogar uma Série A. Eu entendo o torcedor principalmente a União Tricolor (torcida Organizada) porque tenho um respeito muito grande por eles e eles têm por mim também. Se alguém entendeu errado aí, eu não sei.”

    Por fim, o jogador acusou parte da imprensa de querer jogá-lo contra a torcida e acusou os clubes de Florianópolis de quererem tumultuar o ambiente do Joinville em momentos que antecedem jogos decisivos. “Essa proposta pintou umas duas semanas atrás. Mas é sempre assim, tanto Avaí quanto Figueirense tumultuam em decisão.”

“Espero que dessa vez venha ocorrer tudo bem para que eu possa jogar aí, quem sabe, uma Série A pela equipe do Figueirense.”
Lima, em entrevista a uma rádio de Florianópolis no domingo.

“O que eu quero dizer é que, em 2009, eu joguei a Série A pelo Goiás e não foi da forma que eu queria. E hoje tá pintando uma oportunidade, que não é toda hora que aparece.”
Lima, em entrevista a rádio “Transamérica”, ontem.

“Se for o caso, eu peço desculpas, sem problema nenhum. Não foi aquilo que o torcedor tá querendo entender. Eu quis dizer que desejaria jogar uma Série A.”
Lima, em entrevista à rádio “Transamérica”, ontem

“Já falei ao Lima que ele não sai. Série A é bom, mas ele tem um compromisso com o Joinville até o fim do ano.”
Nereu Martinelli, em entrevista à coluna Placar, do ND, de terça-feira

“Disse para ele esquecer este assunto porque não era o momento adequado para tratar disso.”
Nereu Martinelli, em entrevista ao ND, ontem

“É normal um atleta de 29 anos querer se promover um pouquinho. Só que o Lima tem entender que ele tem contrato e só vai ser liberado com o pagamento da multa rescisória.”
Nereu Martinelli, em entrevista ao ND, ontem

Alvinegro também se pronuncia sobre especulações

      O diretor de futebol do Figueirense, Marcos Moura Teixeira, falou ontem sobre as especulações que têm sido rotina no time do Orlando Scarpelli. Ainda cauteloso em confirmar qualquer acerto antes do final do Catarinense, o dirigente revelou o acerto próximo do meia-atacante Almir, ex-Botafogo e que disputou o Carioca pelo Bangu, semifinalista da Taça Rio. “Esperamos alguns acertos finais e é um jogador que pode vir para o Figueirense. Nesta posição, acredito, só temos um jogador e precisamos de mais um”, afirmou.

    Sobre o atacante Lima, do Joinville, que estaria quase certo com o Alvinegro, Teixeira foi definitivo. “Quem tem que falar sobre o Lima é o jogador e o Joinville. O Figueirense não tem nada a declarar neste sentido. O Lima é jogador do Joinville e não podemos falar de um jogador que não é nosso”, declarou.

     Especulado em uma possível troca com o goleador do JEC, o meia Luiz Fernando não é negociável, segundo Teixeira. “Não há a menor chance do Luiz Fernando sair do Figueirense. Não temos o menor interesse e isto não está em pauta”, concluiu.

    Ontem, em entrevista à rádio “Transamérica”, Lima chegou a dizer que o Figueirense ofereceu contrato de um ano, mas esta proposta não seria interessante. “Não, não é isso (a questão salarial como fundamental para o acerto). Até porque eu falei para os diretores de lá que não quero contrato de um ano. Não tem nada concreto.”

TRICOLORES
Vai renovar

      O goleiro Ivan revelou ontem estar próximo de renovar seu contrato com o Joinville até 2013. “Está praticamente certo. Até o fim desta semana deve estar concluído o acerto”, confirmou o atleta. Ivan chegou a ser sondado pela Portuguesa-SP nos últimos dias, mas garantiu que sua prioridade era permanecer no Joinville.

Ingressos

     O JEC informa que a partir de hoje estão disponíveis 500 ingressos para os torcedores interessados em acompanhar o jogo de volta da semifinal contra o Figueirense, domingo, às 18h30, na Capital. Os bilhetes podem ser comprados na Arena pelos preços de R$ 50 e R$ 25 (meia-entrada).

Seleção

    O Instituto Mapa divulgou na segunda-feira a seleção dos melhores jogadores das semifinais do Campeonato Catarinense. O Joinville emplacou cinco nomes na lista. O goleiro Ivan, o lateral-direito Eduardo, o volante Fabiano Silva, o meia Ricardinho e o atacante Bruno Rangel foram os selecionados. Além deles, apareceram na lista Guilherme Santos, Canuto e Roni (Figueirense) e Leonardo e Athos (Chapecoense). O técnico foi Itamar Schulle (Chapecoense) e o árbitro Célio Amorim.

LEIA TAMBÉM:
Na coluna Placar desta quarta – Fim da novela Lima? Saiba mais http://is.gd/IQjfGG

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Figueirense