Drika Evarini

adrieli.evarini@ndmais.com.br Opinião, novidades, contratações e bastidores do esporte joinvilense e muito mais. Apaixonada por futebol, basquete, futsal e tudo que envolve o mundo do esporte, está sempre atenta a tudo que acontece dentro e fora dos campos e das quadras.


Morre o eterno ‘5 de Ouro’ do JEC

O eterno '5 de Ouro', um dos melhores volantes da história do JEC, Jorge Luiz Carneiro morreu na tarde deste sábado (2), em Joinville

O hino diz que o JEC nasceu campeão e a época de glórias do Tricolor foi marcada por jogadores que cravaram o nome na história do clube. Um deles foi Jorge Luiz Carneiro, um dos melhores volantes que já vestiram a camisa preta, branca e vermelha. Ele foi tão importante, emblemático e histórico, que recebeu o apelido ‘5 de Ouro’ na década de 1980. Neste sábado (2), Jorge morreu após longo período internado em Joinville.

Jorge Luiz Carneiro, o ‘5 de Ouro’ do JEC, morreu na tarde deste sábado (2) – Foto: Arquivo/JEC/DivulgaçãoJorge Luiz Carneiro, o ‘5 de Ouro’ do JEC, morreu na tarde deste sábado (2) – Foto: Arquivo/JEC/Divulgação

O volante deixou seu nome marcado para sempre na história do futebol e do JEC.  Vitórias emocionantes, atuações de encher os olhos da torcida em uma década em que o JEC era o time temido e aquele a ser batido em Santa Catarina. Um clube que ainda engatinhava, mas que empilhava títulos e era reconhecido no cenário nacional tinha que ser sustentado por lendas que deixariam um legado de conquistas.

Assim foi com o ‘5 de Ouro’. Uma das histórias emocionantes, entre tantas, tem o Ernestão como palco e Jorge como protagonista. Enfrentando o Santos no dia 20 de abril de 1980, o Tricolor vencia por 1 a 0 até os 44 minutos do segundo tempo, quando uma falta marcada longe do gol, quando o volante chamou a responsabilidade, arriscou da marca apontada pelo árbitro e viu o goleiro falhar, a bola entrar e o Ernestão vibrar pela vitória sacramentada contra um Santos que tinha vários jogadores da seleção.

O volante era admirado, conhecido e reconhecido pela marcação, típica da posição em que atuava, mas também pela visão de jogo e qualidade que dava ao meio campo tricolor.

Em 2017, Jorge foi homenageado na Arena Joinville antes de um dos jogos do Tricolor, com a presença de ídolos, como Nardela e Fontan.

A história foi de conquistas, vitórias e títulos, mas há cerca de 40 dias, ele foi internado na UTI com um quadro delicado de saúde. Neste sábado, Jorge não resistiu e morreu no hospital.

Ainda não há informações confirmadas a respeito do sepultamento do eterno ‘5 de Ouro’.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...