Craque na Europa, Jorginho herdou habilidades da mãe em Imbituba no Sul de SC

Dona Maria Tereza Freitas é jogadora amadora de futebol e sempre incentivou o volante do Chelsea a prática do esporte nas areias da Praia da Villa em Imbituba

Uma paixão que corre nas veias de mãe para filho. Na maioria das vezes, por tradição, o futebol é um esporte incentivado pelos pais. Porém a história desta família é um pouco diferente. Assim como milhares de mulheres que amam o futebol, dona Maria Tereza Freitas foi a grande incentivadora do filho no mundo da bola: o volante do Chelsea, Jorginho Frello.

De Imbituba, no Sul de Santa Catarina, ela assistiu o filho conquistar, neste ano, a Liga dos Campeões da Europa, pelo Chelsea, e a Eurocopa pela Itália, no último domingo (11).

Foi na Praia da Vila, em Imbituba, que Maria Tereza incentivou e bateu bola com o filho Jorginho – Foto: Reprodução/NDTVFoi na Praia da Vila, em Imbituba, que Maria Tereza incentivou e bateu bola com o filho Jorginho – Foto: Reprodução/NDTV

Desde os dois anos de idade, dona Maria Tereza acompanhava os treinos do catarinense e jogava com o filho nas areias da Praia da Vila, em Imbituba. “Então a família toda ama o futebol, sempre envolvido neste esporte”, revela a mãe de Jorginho, que é jogadora amadora e na infância foi incentivada pelo pai a dar chutes, passes e muitos gols em campo.

A caminhada de Jorginho, dentro do futebol, foi muito difícil até o sucesso nos gramados europeus. Ao contrário da maioria dos atletas brasileiros, ele não iniciou em um time do país. Foi aos 14 anos que Jorginho trocou Imbituba pela Itália em busca do sonho de ser jogador de futebol. “Nós sabemos o que ele passou, e hoje, ele é merecedor dos frutos que ele está colhendo”, relembra.

Maria Tereza atua como jogadora de uma equipe amadora de futebol feminino em Imbituba – Foto: Reprodução/NDTVMaria Tereza atua como jogadora de uma equipe amadora de futebol feminino em Imbituba – Foto: Reprodução/NDTV

Sempre na rua acompanhado da bola

A paixão pelo futebol sempre esteve presente na vida de Jorginho, os familiares relembram episódios quando o craque tinha sete anos de idade. “Onde ele está Maria? Eu perguntava, afinal, ele era pequeno e ficávamos preocupadas. Às vezes já estava noite, e íamos atrás dele na pracinha, e lá estava, jogando bola”, relembra a tia, Dina Freitas, que acompanhou de perto o apoio da mãe de Jorginho durante o desenvolvimento do atleta ainda na infância.

Quando estudava na Escola de Educação Básica João Guimarães Cabral em Imbituba, professores e colegas relembram da participação ativa de dona Maria Tereza, no período dos campeonatos e jogos escolares, um apoio sem fim. “Sempre do lado, quando nós íamos para jogos estudantis, ou jogos escolares”, conta o professor e orientador técnico Pepe Ávila.

No último domingo (11) Jorginho foi  campeão da Eurocopa pela Itália – Foto: Reprodução/InstagramNo último domingo (11) Jorginho foi  campeão da Eurocopa pela Itália – Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo separados por um oceano, o amor à bola prevalece

Dona Maria Tereza é jogadora  amadora de um time de futebol feminino de Imbituba, quando está em campo, se conecta ainda mais com o filho, mesmo do outro lado do oceano.

Ela deixa uma mensagem de orgulho para o ídolo de muitos garotos que sonham trilhar um caminho de sucesso, como Jorginho. “Eu estou muito orgulhosa de ti, a mãe te ama, e que Deus te abençoe sempre”, emocionada, diz.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Internacional

Loading...