Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.


“Ah, não assisto a Copa América”. O azar é todo seu. Hoje tem Brasil e Argentina. É final

Em campo, 7 títulos mundiais. Considerando a rivalidade, sem dúvida o maior clássico entre Seleções do Mundo. A decisão deste sábado, às 21h00 entre Brasil e Argentina é imperdível.

“Ah, eu não assisto a Copa América”. O azar é é todo seu.

Se por algum motivo ou influência externa, você optou por não acompanhar os jogos da Copa América, sinto muito. No sábado, tem Brasil e Argentina, no Maracanã. Em campo 7 títulos mundiais, só isso! De um lado o brasileiro Neymar, e do outro, um Messi para lá de empolgado e jogando muita bola. Em termos de rivalidade, o encontro entre jogadores brasileiros e argentinos é sem dúvida o maior clássico do futebol mundial. Essa decisão promete.

Seleção Brasileira é a favorita para conquistar mais uma Copa América – Foto: Lucas Figueirense/CBFSeleção Brasileira é a favorita para conquistar mais uma Copa América – Foto: Lucas Figueirense/CBF

RIVALIDADE E RESPEITO

Como não poderia deixar de ser diferente, Brasil e Argentina, que decidem nesta noite de sábado  o título da Copa América, tem provocações de ambos os lados: é o peso da rivalidade. Por parte dos jogadores brasileiros, o desejo de vencer a competição. Do lado dos argentinos, respeito pela camisa amarela e a chance de acabar com um longo jejum de títulos: a Argentina não levanta um troféu desde 1993. Um motivo a mais para os vizinhos sul-americanos, capitaneados pelo craque Messi, entrarem no gramado do Maracanã com “sangue nos olhos”.

Lionel Messi cresceu em hora decisiva. Até a decisão, é o craque da Copa América- Foto: AFP/divulgaçãoLionel Messi cresceu em hora decisiva. Até a decisão, é o craque da Copa América- Foto: AFP/divulgação

BRASIL E ARGENTINA

Os craques Neymar e Messi são as atrações da grande decisão da Copa América. Essa afirmação, que parece ser óbvia, vai além do jogo no gramado. Primeiro pelos que eles representam para os seus países. Quem vencer o jogo, será o herói. Mas o peso tem sentido inverso: quem for derrotado, será chamado de “pipoqueiro”. Tanto Neymar, quanto Messi, sabem o peso dessa decisão e as suas responsabilidades. Atrativos a mais, que juntamente com a rivalidade histórica entre Brasil e Argentina, tornam essa decisão imperdível. Vai, Brasil!

Rivalidade eterna. Na Copa de 1982 o Brasil levou a melhor: 3 x1.  Maradona recebe a marcação do lateral Júnior, sendo observado pelo zagueiro Luisinho. Sócrates observa o lance.  – Foto: (Foto: Divulgação)Rivalidade eterna. Na Copa de 1982 o Brasil levou a melhor: 3 x1.  Maradona recebe a marcação do lateral Júnior, sendo observado pelo zagueiro Luisinho. Sócrates observa o lance.  – Foto: (Foto: Divulgação)

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...